Suspeito de conluio na Lava Jato, Deltan critica projeto sobre abuso de autoridade

Procurador e coordenador da força-tarefa Lava Jato, Deltan Dallagnol, suspeito de manipular e direcionar os processos da operação juntamente com o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, criticou o projeto de lei aprovado pela CCJ do Senado sobre o abuso de autoridade; segundo ele, o projeto “coloca em risco o combate à corrupção e abre “a possibilidade de o investigado investigar e acusar o próprio investigador"

Troca de mensagens coloca atuação de Dallagnol sob suspeita
Troca de mensagens coloca atuação de Dallagnol sob suspeita (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

247 - O procurador e coordenador da força-tarefa Lava Jato, Deltan Dallagnol, suspeito de manipular e direcionar os processos da operação juntamente com o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, como revelado na troca de mensagens revelada pelo site The Intercept, criticou o projeto de lei aprovado pela Comissão e Constituição e Justiça (CCJ) do Senado sobre o abuso de autoridade. Segundo ele, o projeto “coloca em risco o combate à corrupção e abre “a possibilidade de o investigado investigar e acusar o próprio investigador”. 

Baseado no projeto 10 medidas contra a corrupção, idealizado pela própria Lava Jato, O PLC 27/2017 aprovado pela CCJ do Senado foi aprovado nesta quarta-feira (26). Para Dallagnol, o fato preocupante do projeto – que ainda terá que ser aprovado pelo plenário da Casa – está no ponto que trata da possibilidade de sanções contra juízes, procuradores e promotores por abuso de autoridade. 

“IMPORTANTE: hoje o Senado vota projeto de abuso de autoridade com pegadinhas que colocam em risco o combate à corrupção. A luta contra a corrupção precisa do apoio dos senadores e dos brasileiros”, escreveu Dallagnol em sua conta no Twitter. 

“Olá pessoal. Esse projeto é fruto daquelas 10 medidas contra a corrupção, mas em vez de avançar na luta contra a corrupção, depois de ter sido muito deturpado, se for aprovado vai significar um grande retrocesso”, disse em um vídeo sobre o assunto. Para ele, o projeto abre “a possibilidade de o investigado investigar e acusar o próprio investigador”, afirma.  

“Por isso somos contra esse projeto”, ressalta. “Somos, sim, a favor de punição adequada do crime de abuso de autoridade, consistente, como aquela prevista no projeto de lei apresentado em 2017 no Senado, que não tem pegadinhas e que avança nesse sentido”, completa.

Confira o Twitter de Deltan Dallagnol sobre o assunto. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247