Suspeito de ligação com Estado Islâmico se entrega em Mato Grosso

Apontado pela Polícia Federal como suspeito de ligação com o grupo terrorista Estado Islâmico, Valdir Pereira da Rocha se entregou nessa sexta-feira, 22, à Polícia Federal na cidade de Vila Bela da Santíssima Trindade, a 562 km de Cuiabá; com Valdir, agora são 11 presos suspeitos de planejar um ataque durante a Olimpíada, na Operação Hashtag; mecânico Leonid El Kadre de Melo, que também teve um mandado de prisão expedido pela Justiça Federal, continua foragido da polícia

Brasília - O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, em entrevista à imprensa, fala sobre a operação policial que prendeu, um grupo suspeito de planejar atos terroristas a 15 dias da Rio 2016 (José Cruz/Agência Brasil)
Brasília - O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, em entrevista à imprensa, fala sobre a operação policial que prendeu, um grupo suspeito de planejar atos terroristas a 15 dias da Rio 2016 (José Cruz/Agência Brasil) (Foto: Aquiles Lins)

247 - Apontado pela Polícia Federal como suspeito de ligação com o grupo terrorista Estado Islâmico, Valdir Pereira da Rocha se entregou nessa sexta-feira, 22, à Polícia Federal na cidade de Vila Bela da Santíssima Trindade, a 562 km de Cuiabá. Ele era considerado foragido.

Com Valdir, agora são 11 presos suspeitos de planejar um ataque durante a Olimpíada, na Operação Hashtag. Um suspeito de integrar o grupo segue foragido. Eles são suspeitos, segundo o Ministério da Justiça, de terem realizado "atos preparatórios" visando ações terroristas.

Segundo a Polícia Federal, Valdir se entregou a uma equipe de policiais por voltas das 18h [horário de Mato Grosso]. Ele deve ser ouvido e depois encaminhado a um presídio federal. Ainda segudo a PF, por questão de segurança, o local para onde ele será levado não deve ser divulgado.

O mecânico Leonid El Kadre de Melo, que também teve um mandado de prisão expedido pela Justiça Federal, continua foragido da polícia. Na quinta-feira (21), a polícia cumpriu mandado de busca e apreensão na residência dele.

O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, disse em entrevista coletiva na quinta-feira que os investigados na operação não tiveram contato com membros do Estado Islâmico e que se trata de uma "célula absolutamente amadora", porque não tinha "nenhum preparo".

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247