Temer agora ataca programa saúde da família

Ao todo, mais de 15 milhões de pessoas podem ficar sem cobertura da saúde da família em todo o País; portaria do governo alega "descumprimento de prazo estabelecido para cadastramento no Sistema Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (SCNES)", mas não anuncia qualquer advertência, apenas os fechamentos das unidades

Temer agora ataca programa saúde da família
Temer agora ataca programa saúde da família (Foto: Divulgação/PSF | REUTERS/Paulo Whitaker)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governo Michel Temer, rejeitado por quase 100% dos brasileiros, promove mais um ataque aos direitos sociais da população. O Ministério da Saúde está descredenciando Unidades de Saúde da Família em cidades no Brasil todo.

"Ficam descredenciadas as Equipes de Saúde da Família (ESF) dos Municípios descritos nos anexos, em razão dos descumprimento do prazo estabelecido na Portaria de Consolidação nº 2/GM/MS, de 28 de setembro de 2017, para cadastramento no Sistema Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (SCNES)", diz um trecho do documento.

Ao todo, mais de 15 milhões de pessoas podem ficar sem cobertura da saúde da família. Cada equipe tem que atender cerca de quatro mil pessoas. O documento não traz qualquer alerta ou advertência sobre o suposto "descumprimento" de prazo, apenas anuncia o fechamento.

Confira aqui o texto da portaria sobre o tema, publicado em junho.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247