Temer quer que STF libere uso da força contra caminhoneiros

Supremo Tribunal Federal, que apoiou o golpe contra a presidente honesta Dilma Rousseff, agora é consultado por Michel Temer, acusado de corrupção, para usar a força contra grevistas; "Como amplamente noticiado pelos meios de imprensa, o bloqueio das rodovias federais e estaduais tem gerado quadro de verdadeiro caos nos centros urbanos, em virtude da drástica redução dos estoques de combustível e de gêneros de primeira necessidade", diz a AGU, omitindo que a política de preços da Petrobras é a principal responsável pelo caos no País

Supremo Tribunal Federal, que apoiou o golpe contra a presidente honesta Dilma Rousseff, agora é consultado por Michel Temer, acusado de corrupção, para usar a força contra grevistas; "Como amplamente noticiado pelos meios de imprensa, o bloqueio das rodovias federais e estaduais tem gerado quadro de verdadeiro caos nos centros urbanos, em virtude da drástica redução dos estoques de combustível e de gêneros de primeira necessidade", diz a AGU, omitindo que a política de preços da Petrobras é a principal responsável pelo caos no País
Supremo Tribunal Federal, que apoiou o golpe contra a presidente honesta Dilma Rousseff, agora é consultado por Michel Temer, acusado de corrupção, para usar a força contra grevistas; "Como amplamente noticiado pelos meios de imprensa, o bloqueio das rodovias federais e estaduais tem gerado quadro de verdadeiro caos nos centros urbanos, em virtude da drástica redução dos estoques de combustível e de gêneros de primeira necessidade", diz a AGU, omitindo que a política de preços da Petrobras é a principal responsável pelo caos no País (Foto: Aquiles Lins)

247 - O governo de Michel Temer, que chegou ao poder por meio de um golpe parlamentar avalizado pelo Supremo Tribunal Federal, vou ao STF nesta sexta-feira (25) para que a greve dos caminhoneiros seja declarada ilegal. Por meio da Advocacia Geral da União (AGU), Temer pede que seja autorizado o uso de força policial na desobstrução das rodovias federais e estaduais em todo país – inclusive os acostamentos.

"Cumpre observar que a urgência da liminar postulada se justifica na medida em que, como amplamente noticiado pelos meios de imprensa, o bloqueio das rodovias federais e estaduais tem gerado quadro de verdadeiro caos nos centros urbanos, em virtude da drástica redução dos estoques de combustível e de gêneros de primeira necessidade [...]", afirma a AGU no pedido ao STF.

Em pronunciamento no Palácio do Planalto nesta sexta-feira (25), o presidente Michel Temer disse que acionou forças federais para desbloquear as estradas.

Leia também texto do jornalista Fernando Brito, editor do Tijolaço, sobre o assunto:

O Governo Federal acaba de pedir ao Supremo Tribunal Federal- e não há dúvidas de que será atendido – a decretação da ilegalidade do movimento dos caminhoneiros e a liberação para o uso de força, inclusive militar, para o que diz ser a “desobstrução das estradas”, mais especificamente a circulação de cargas.

Claro que, com o grau de acirramento dos ânimos dos manifestantes, há quatro dias  “donos” do país, tudo é muito arriscado e, se o governo não garantir, ele próprio, que haja veículos de transporte de combustíveis para formar comboios escoltados, o risco é imenso.

A demora é critica e perdeu-se a surpresa que deveria ser um fator a mais de segurança contra os que queira, eventualmente, provocar conflitos com as Forças Armadas.

É isso o que acontece num país onde se destroem as lideranças e se promove a radicalização sem limites.

Vamos para uma aventura, a olhos vistos.

Por tropa na rua é sempre ruim. Por tropa na rua, com atraso, sem planos e sem autoridade, ou não dá em nada ou dá em desastre.

É a segunda “jogada de mestre” do Sr. Temer usando o Exército. A primeira, todos percebem, deu em nada com a intervenção na segurança do Rio de Janeiro.

Que a segunda não dê em desastre.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247