Tijolaço: saem os 'mortadela', entram os 'presuntos de Parma'

O editor do Tijolaço, Fernando Brito, destaca que o Brasil poderá assistir, nesta quinta-feira (31), 'um grande e insólito espetáculo" com a promessa de juízes, desembargadores, procuradores e promotores de Justiça de "invadir Brasília" "em defesa de seus "direitos e garantias" e em nome da "autonomia" da categoria. Trocando em miúdos: vão manifestar o descontentamento com projetos em tramitação no Congresso Nacional que impõem limites aos salários acima do teto constitucional e desvinculam a remuneração dos agentes públicos"; "Que não se diga que são "mortadelas" como chamam aos trabalhadores que vão reivindicar direitos, são "presuntos de Parma", talvez", ironiza

Estátua da Justiça do lado de fora do prédio do Supremo Tribunal Federal em Brasília 07/04/2010 REUTERS/Ricardo Moraes
Estátua da Justiça do lado de fora do prédio do Supremo Tribunal Federal em Brasília 07/04/2010 REUTERS/Ricardo Moraes (Foto: Paulo Emílio)

Por Fernando Brito, no TijolaçoPrepare-se para assistir, hoje, um grande e insólito espetáculo, que a jornalista Isabella Souto descreveu, n'O Estado de Minas, com bela ironia:

Juízes, desembargadores, procuradores e promotores de Justiça prometem invadir Brasília, nesta quinta-feira, em defesa de seus "direitos e garantias" e em nome da "autonomia" da categoria. Trocando em miúdos: vão manifestar o descontentamento com projetos em tramitação no Congresso Nacional que impõem limites aos salários acima do teto constitucional e desvinculam a remuneração dos agentes públicos, além da Reforma da Previdência e a discussão judicial que pode acabar com o auxílio-moradia mensal de R$ 4.373,77.

O "grito dos privilegiados" reúne caravanas de todo o país, articuladas pelas entidades representativas do Judiciário e do Ministério Público. Algumas delas vão custear as viagens de seus associados, como, por exemplo, a Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis). O sorteio para definição dos participantes foi realizado no último dia 23 e os sete agraciados terão passagens aéreas de ida e volta custeadas pela entidade. A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) vai ajudar a pagar a viagem de 100 juízes.

Que não se diga que são "mortadelas" como chamam aos trabalhadores que vão reivindicar direitos, são "presuntos de Parma", talvez.

Aliás, algo me diz que as corporações ainda vão chorar lágrimas de sangue nos seus lenços de linho, porque – cumprido o papel de por uma mordaça eleitoral no povo brasileiro, suas asas serão podadas pela mídia.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247