TST faz proposta para pôr fim à greve dos carteiros

Negociação durou mais de cinco horas, ante a resistência da direção dos Correios. Tribunal apresentou proposta a ser aprovada em assembleias até terça-feira

(Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rede Brasil Atual – Os trabalhadores dos Correios, hoje (12) em seu segundo dia de greve por tempo indeterminado, devem continuar mobilizados até pelo menos na próxima terça-feira (17), prazo dado pelo ministro do Superior Tribunal do Trabalho (TST), Mauricio Godinho Delgado, depois de uma rodada de negociação de cinco horas na seção especializada em dissídios coletivos do tribunal, em Brasília.

Como a direção da empresa tem se mostrado resistente à negociação, o ministro propôs manter as cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho 2018/2019, bem como a vigência do plano de saúde, conforme prorrogação ocorrida em 31 de julho, até o dia 2 de outubro, data do julgamento do dissídio coletivo pelo colegiado do TST.

Em contrapartida, os trabalhadores se comprometeram a levar a proposta de encerramento da paralisação para as assembleias o mais rápido possível, por isso o prazo até a próxima terça-feira (17), às 22h. Os trabalhadores também são contra a privatização da empresa, como pretende o governo Bolsonaro.

Confira a reportagem completa no site da Rede Brasil Atual.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email