Zanin: se Brasil não cumprir decisão da ONU, eleição será questionada

Advogado do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martins define como "uma grande vitória" a decisão do Comitê de Direitos Humanos da ONU de que Lula tem direito a ser candidato e determina que o governo brasileiro faça cumprir seus direitos políticos; "Não se trata de uma mera recomendação. O STF já reconheceu que tratados internacionais estão acima da lei", lembrou Zanin em coletiva nesta tarde; "Esperamos o cumprimento", completou

Zanin: se Brasil não cumprir decisão da ONU, eleição será questionada
Zanin: se Brasil não cumprir decisão da ONU, eleição será questionada (Foto: Divulgação)

247 - O advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente Lula, definiu como "uma grande vitória" a decisão do Comitê de Direitos Humanos da ONU de que Lula tem direito a ser candidato e que determina que o governo brasileiro faça cumprir seus direitos políticos.

"Não se trata de uma mera recomendação. O STF já reconheceu que tratados internacionais estão acima da lei", lembrou Zanin em coletiva de imprensa nesta tarde, concedida junto com os ex-ministros Paulo Sérgio Pinheiro e Celso Amorim, que foi chanceler durante o governo Lula.

"A Procuradoria Geral da República já manifestou ao STF que a jurisdição brasileira submeteu-se às decisões da Corte Interamericana de Direitos Humanos, reconhecendo que o cumprimento de suas decisões é mandatório", destacou Zanin.

“O Comitê determina ao Brasil que não tome decisões irreversíveis, uma vez que a ONU pode reconhecer as violações contra Lula depois das eleições”, explicou.

"Esperamos o cumprimento", completou Zanin. "É importante lembrar que não foi hoje que o Comitê tomou conhecimento, mas desde junho de 2016", destacou ainda o advogado. Segundo ele, se o Brasil "não cumprir" a determinação da ONU, "essas eleições serão questionadas internacionalmente".

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247