Anvisa dispensa registro para vacinas enviadas pela OMS ao Brasil

Segundo a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, vacinas adquiridas pelo Ministério da Saúde através da Covax Facility não precisarão de registro e de autorização temporária de uso emergencial

(Foto: Reuters | ANVISA)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik Brasil - A diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu nesta terça-feira (9) que as vacinas adquiridas pelo Ministério da Saúde através da Covax Facility não precisarão de registro e de autorização temporária de uso emergencial.

Covax Facility é uma iniciativa liderada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que une mais de 150 países, criada para impulsionar o desenvolvimento e a distribuição das vacinas contra a Covid-19.

A decisão desta terça-feira (9) permite, por exemplo, que vacinas de Oxford/AstraZeneca fabricadas em outros países possam ser compradas pelo Brasil sem precisar de uma nova autorização para uso emergencial. As informações foram publicadas pelo portal G1.

Em outubro, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco, disse que o Brasil poderia receber 42 milhões de doses de vacinas do grupo. O número seria suficiente para a cobertura de 10% da população brasileira.

A aliança Covax vai disponibilizar ao menos duas bilhões de doses de vacinas até o fim de 2021 e 92 países pobres deverão ter acesso a 1,3 bilhão de doses ainda já no primeiro semestre deste ano.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email