Cloroquina mata pacientes em Manaus e estudo sobre seu uso é cancelado, segundo o New York Times

Em Manaus morreram 11 pacientes com Covid-19, após terem recebido uma dose elevada de cloroquina. A droga é apregoada por Donald Trump e Jair Bolsonaro como panaceia para o tratamento do novo coronavírus

(Foto: RAPHAEL VELEDA/METRÓPOLES)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Pacientes de Covid-19 internados em Manaus que receberam dose alta de cloroquina apresentaram batimentos cardíacos irregulares. Após a morte de 11 deles, cientistas interromperam precocemente testes com a dosagem.

O episódio fez com que cientistas brasileiros interrompessem parte de um estudo sobre o medicamento, cujo uso é defendido tanto pelo presidente americano, Donald Trump, quanto por Jair Bolsonaro, para o tratamento de pacientes de Covid-19. 

A informação é do jornal The New York Times

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247