Coronavírus já é a maior causa de mortes no Brasil registrada em um único ano

O Brasil alcançou neste domingo (13) a marca de 132 mil óbitos causados por coronavírus. As doenças isquêmicas do coração lideraram historicamente o ranking de causa-morte e alcançaram o maior número em 2019, com 116 mil óbitos em 12 meses

País ocupa o segundo lugar no ranking global de mortes por Covid-19
País ocupa o segundo lugar no ranking global de mortes por Covid-19 (Foto: Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Brasil alcançou neste domingo (13) a marca de 132 mil óbitos causados por coronavírus, doença que se tornou a causa-morte com mais vítimas em um único ano já registrado no País. 

De acordo com as classificações de causas naturais ou externas de mortalidade do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), as doenças isquêmicas do coração (que incluem os infartos) lideraram historicamente o ranking de causa-morte e alcançaram o maior número em 2019, com 116 mil óbitos em 12 meses.

Em relação a doenças respiratórias, a pneumonia sempre foi a que mais matou, e o recorde de mortes em uma única temporada foi no ano passado, com 83 mil óbitos. 

Os óbitos causados pela Covid-19 em apenas seis meses representam mais que o dobro do recorde histórico de homicídios, ocorrido em 2017, quando foram contabilizadas 62 mil pessoas de forma violenta. 

Em entrevista ao portal Uol, a professora e pesquisadora em doenças tropicais da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), Vera Magalhães, disse que um impacto significativo da covid-19 no número de mortes no país já era esperado.

"O vírus realmente tem um impacto imenso no mundo inteiro, não é no Brasil, só. E apesar da letalidade parecer pequena —de 0,6%, segundo estima a OMS [Organização Mundial de Saúde] no mundo— é um número extremamente alto porque é uma doença que está tendendo a uma estabilização em um ponto alto de casos e ainda de óbitos", afirmou a estudiosa, citando que a letalidade de gripes - como a H1N1 e outras - é bem menor e varia de 0,01% a 0,08%.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247