Gomes Temporão, ex-ministro da Saúde: Bolsonaro já perdeu a briga sobre a vacina

O ex-ministro José Gomes Temporão criticou a postura negacionista de Jair Bolsonaro contra a vacinação obrigatória e diz que ele será obrigado a aceitar a imunização em massa da população. “Mesmo a contragosto, Bolsonaro será obrigado a concordar com a vacinação”. Assista

Gomes Temporão, ex-ministro da Saúde: Bolsonaro já perdeu a briga sobre a vacina
Gomes Temporão, ex-ministro da Saúde: Bolsonaro já perdeu a briga sobre a vacina
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-ministro da Saúde José Gomes Temporão criticou duramente, em participação no programa Boa Noite 247, a postura de Jair  Bolsonaro e sua narrativa negacionista no enfrentamento à Covid-19. Desta vez, por conta de uma guerra ideológica contra a China, a cruzada de Bolsonaro é para sabotar a produção da vacina chinesa CoronaVac no Brasil, além de ir contra a obrigatoriedade da imunização em massa.

Em sua visão, “mesmo a contragosto, Bolsonaro será obrigado a concordar com a vacinação. Seja talvez pelo STF [Supremo Tribunal Federal], ele já perdeu essa briga”.

“O tema da obrigatoriedade da vacinação terá que ser tratado pelo Supremo Tribunal Federal e a maioria dos ministros já indicaram ser favoráveis à vacinação obrigatória”, acrescentou.

Temporão também condenou a narrativa de Bolsonaro ao negar sistematicamente a importância do imunizante. “Até onde vai o meu direito pessoal de ser contra a vacina?”, questionou.

“O espírito radical de negacionismo à ciência e construção de falsas narrativas é a base do bolsonarismo”, acrescentou.

O ex-ministro relata que o movimento antivacina, muito forte na Europa e EUA, puxado por movimentos religiosos, infelizmente chegou ao Brasil. “Parece que estamos voltando aos tempos de revolta da Vacina de Osvaldo Cruz”, concluiu.

Inscreva-se na TV 247, seja membro e compartilhe:

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247