Médica brasileira cria protocolo com anticoagulantes para tratar pacientes de Covid-19

O protocolo foi elaborado por uma médica do Hospital das Clínicas com base em um estudo chinês que considera o uso de um anticoagulante (heparina) para tratar pacientes de Covid-19 que estejam em fase mais avançada da doença, com problemas respiratórios

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um estudo chinês considera o uso de um anticoagulante (heparina) para tratar pacientes de Covid-19 que estejam em fase mais avançada da doença, com problemas respiratórios. O procedimento é citado em um artigo de autores chineses e, com base nele, uma médica brasileira, do Hospital das Clínicas e do Sírio Libanês, em São Paulo, criou um protocolo para tratar pacientes no País.

Neste domingo 5, uma postagem feita por Ana Estela Haddad, mestre e doutora em odontopediatria pela USP e ex-primeira-dama da cidade de São Paulo, repercutiu a notícia com link para o artigo original chinês. A postagem gerou bastante repercussão, inclusive com questionamentos de que a autoria do procedimento não seria de uma médica brasileira, mas sim de chineses. O artigo da médica brasileira, no entanto, foi submetido para publicação, mas como ainda está em análise, não pode ser divulgado.

"Uma médica pneumologista e patologista do HC/USP percebeu que o coronavírus provoca obstrução da microcirculação sanguínea, causando colapso respiratório", dizia a postagem de Ana Estela Haddad, informando então que ela "desenvolveu um protocolo e começou a ministrar anticoagulantes para os pacientes da UTI, que apresentaram melhora significativa!".

Leia aqui o artigo.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247