OMS se diz preocupada com 'séria cegueira' de países que não adotam restrições contra a covid-19

Segundo estimativa do Imperial College, entre os dez países com maior número de mortes por coronavírus no mundo, Brasil e EUA são os únicos que não adotaram restrições em nível nacional. O diretor-executivo da OMS, Michael Ryan, classificou como um erro grave a crença de que a maioria das pessoas não mostra sintomas e que "o vírus vai passar sozinho"

(Foto: Divulgação (OMS))
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Sem citar nominalmente algum país, o diretor-executivo da Organização Mundial de Saúde, Michael Ryan, afirmou que a instituição está preocupada com a "séria cegueira" de governos que permitem aglomerações de pessoas e não adotam medidas contra o coronavírus. De acordo com estimativa do Imperial College, entre os dez países com maior número de mortes por coronavírus no mundo, Brasil e Estados Unidos são os únicos que não adotaram restrições em nível nacional e também os únicos com taxa de contágio acima de 1.

Com 1,3 milhão de casos, o EUA lideram o ranking mundial das nações que têm as maiores quantidades de confirmações. A Espanha fica em lugar lugar (268 mil). O Brasil ocupava a oitava posição (163,5 mil). Em nível global são 4,3 milhões de casos e 285 mil mortes, de acordo com dados oficiais. 

Ryan classificou como um erro grave a crença de que a maioria das pessoas não mostra sintomas e que "o vírus vai passar sozinho". "A ideia de que podemos deixar mais gente ter contato com a doença é um cálculo muito perigoso. Os países não podem fazer essa matemática, precisam fazer tudo para proteger a saúde e a economia ao mesmo tempo", afirmou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247