Semana foi de avanço das experiências chinesas de vacina contra Covid-19

A China deu nesta semana maiores passos em alguns de seus projetos para produzir uma vacina eficaz contra a Covid-19

(Foto: ChinaDaily)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Durante esta semana, mais uma vacina chinesa do tipo inativado demonstrou segurança e eficácia no fortalecimento do sistema imunológico durante testes clínicos em humanos.

A preparação foi obtida pelo Wuhan Institutes of Biological Products and Virology, e os dados das duas primeiras etapas de teste foram publicados no The Journal of the American Medical Association.

Outra notícia relevante foi que o Ad5-nCoV recombinante é o único na China até agora com patente a ser utilizada contra a Covid-19, etapa que continua reservada para o setor militar por um ano.

De acordo com seu proprietário CanSino Biologics Inc, a substância está atualmente passando pela última fase de testes em humanos na Rússia e deve ser aplicada em 625 voluntários.

Por outro lado, o Grupo Nacional (Sinopharm) informou que lançará suas duas vacinas candidatas no mercado em dezembro próximo. Seu presidente, Liu Jingzhen, disse que o grupo começará a trabalhar nas questões de comercialização assim que terminar a terceira fase dos testes clínicos, que vêm sendo realizados nos Emirados Árabes Unidos desde junho passado.

Uma planta em Pequim já passou nas inspeções de biossegurança e está pronta para produzir 120 milhões de doses por ano, enquanto outra em Wuhan obterá 100 milhões de doses por ano.

A Sinopharm também iniciou na quinta-feira no Peru os últimos testes de uma de suas vacinas candidatas e, portanto, espera que os cientistas coletem dados finais sobre sua eficiência na proteção de humanos contra o coronavírus. 

A China busca fazer parceria com outras nações do mundo nas investigações finais de suas vacinas candidatas contra a Covid-19 porque a redução substancial de pacientes em seu território as impede de serem realizadas.

Nesse contexto, empresas de biotecnologia estão em negociações com Rússia, Brasil, Chile, Canadá e Arábia Saudita.

Na quinta-feira, Indonésia e Paquistão concordaram em aderir ao processo, informa a Prensa Latina.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247