Vacinação em Israel já atingiu mais de 20% da população, mas palestinos temem falta de garantias

O país afirma ter vacinado 72% dos idosos e mais de 20% da população, mas palestinos em Gaza e na Cisjordânia desconfiam da falta de garantias apresentadas pelo governo

(Foto: REUTERS/Ammar Awad)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Israel já vacinou 72% de seus idosos e mais de 20% da população, revelou nesta quinta-feira (14) o diretor do departamento de relações internacionais do Ministério da Saúde, Asher Salmon. 

No entanto, o país não apresentou garantias de que toda sua população será vacinada. 

Como reportado na Sputnik Brasil, palestinos em Gaza e na Cisjordânia veem com desconfiança o plano do governo, já que o Estado ainda não os assegurou sobre a imunização. 

"Especialistas em direitos humanos da ONU apelam a Israel, a potência ocupante, para garantir acesso imediato e equitativo às vacinas contra a COVID-19 para o povo palestino sob ocupação", diz um comunicado publicado no site do Alto Comissariado para os Direitos Humanos (ACNUDH).

No entanto, palestinos residentes em Jerusalém Oriental terão vacinas fornecidas normalmente.

Israel trabalha com as vacinas da Pfizer e da Moderna. O país é acusado de ter pago um preço acima do mercado para assegurar suas doses. 

Em resposta, Salmon rebateu: "O preço da vacina é baixo em comparação com o custo de um lockdown", disse, conforme reportado no Uol.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email