CPI quer apurar pressão de Flavio Bolsonaro para nomear altos cargos na Saúde durante gestão Mandetta

A CPI da Covid começou questionando interesses incomuns do senador Flávio Bolsonaro por cargos do Ministério da Saúde no início da pandemia

Flávio Bolsonaro
Flávio Bolsonaro (Foto: Beto Barata - Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247- A CPI da Covid vai apurar a pressão que o então ministro da pasta, Luiz Henrique Mandetta, teria sofrido, em janeiro de 2020, para nomear indicados pelo senador Flávio Bolsonaro para quatro altos postos no Ministério da Saúde. A lista incluía o então secretário-executivo João Gabbardo, o braço direito de Mandetta na pasta. 

Os quatro nomes que o Planalto pretendia nomear eram do Rio de Janeiro e nenhum possuía experiência ou já tinha ocupado algum cargo de gestão no SUS. A informação é do colunista Bernardo Mello Franco em O Globo. 

Mandetta reuniu-se com Jair Bolsonaro para defender os ocupantes dos cargos e ouviu do presidente que seus auxiliares não eram "gente nossa". Segundo o relato do ex-ministro, o presidente informou que as sugestões de troca haviam partido de Flavio Bolsonaro. 

O senador aparentemente estava interessado em contratos milionários na pasta. Além de Gabbardo, Flávio queria trocar dois secretários e o diretor de informática dos SUS.

Inscreva-se na TV 247, seja membro e assista à transmissão da CPI ao vivo:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email