Agualusa: “O caso do Brasil é exemplar de um poder público capturado pelo banditismo”

O escritor e jornalista José Eduardo Agualusa, que acaba de publicar o romance ‘Os Vivos e Os Outros’, avaliou na TV 247 que Jair Bolsonaro conquistou e manteve os 30% de popularidade depois que Edir Macedo, líder da Igreja Universal, declarou apoio ao seu governo. Assista

Escritor e jornalista José Eduardo Agualusa
Escritor e jornalista José Eduardo Agualusa (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Stefani Costa - O escritor e jornalista José Eduardo Agualusa, em entrevista à TV 247, afirmou que “é preciso distinguir entre o que são projetos de fé e o que são projetos de burla” ao ser questionado sobre as recentes denúncias de corrupção, evasão de divisas e racismo por parte de pastores angolanos ligados à Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), liderada pelo bispo evangélico Edir Macedo.

“Claramente a IURD e outros grupos que se afirmam como religiosos são, na realidade, grupos de bandidos, de charlatões que usam a fé como pretexto para roubar as pessoas. É disso que se trata, roubo”. 

O escritor destacou ainda que o Estado angolano tem despertado para essas ações perpetuadas por instituições religiosas ligadas ao Brasil. Segundo Agualusa, uma das exigências é a de que pastores apresentem um documento provando uma conclusão de licenciatura em Teologia. “Se você faz milagres, prove”.

O jornalista vê o atual governo brasileiro com preocupação, uma vez que Jair Bolsonaro, além do apoio de igrejas neopentecostais, também tem alicerce direto com as milícias. “É claramente um caso de alguém que foi catapultado para o poder por um grupo, por vários grupos, associados com o puro banditismo.”

Agualusa acaba de publicar o romance ‘Os Vivos e Os Outros’, com previsão de lançamento no Brasil em outubro. Na entrevista, ele também fala sobre o livro e sobre literatura.

Inscreva-se na TV 247 e assista à íntegra:

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247