Cineasta brasileira que filmou história do golpe ganha prêmio sobre democracia

A cineasta brasileira Petra Costa, autora de "Democracia em Vertigem", cotada para o Oscar, recebe nesta segunda-feira em Buenos Aires o Prêmio Democracia, organizado pelo Centro Cultural Caras y Caretas. A presidenta do Jurado é Estela de Carlotto – figura central no debate sobre a memória histórica no Cone Sul e presidente da entidades Abuelas de Plaza de Mayo

(Foto: Divulgação)

247 - A cineasta Petra Costa, autora do documentário "Democracia em Vertigem", que conta a história do golpe que  derrubou a presidenta Dilma Rousseff em 2016, receberá mais uma homenagem na noite desta segunda-feira, em Buenos Aires, informa o jornalista Jamil Chade. 

Em seu blog, o jornalista destaca ainda que a obra de Petra tem sido citada como um dos destaques do ano em diferentes jornais americanos, num momento de forte debate no Brasil sobre a censura em projetos artísticos e sobre o futuro da Ancine.

A cineasta brasileira foi a escolhida como a "Personalidade Destacada da América Latina", título que já foi concedido a Silvio Rodríguez, Michelle Bachelet, Lucía Topolansky, Álvaro García Linera e Carmen Lira.

A premiação ocorre em meio a uma série de menções no mercado americano sobre o documentário da Netflix. No final de setembro, a publicação americana Indiewire já havia colocado a produção de Petra Costa como um dos cinco favoritos para a indicação ao Oscar na categoria de documentários. Para os jornalistas americanos, o filme é um "alerta" sobre "a emergência da extrema-direita".

O documentário aparece ao lado de obras como "Apollo 11", "American Factory", "The Kingmaker" e "One Child Nation".

No jornal New York Times, o documentário sobre o colapso político brasileiro também foi citado na lista dos dez melhores do ano (até agora) – The Best of 2019 (so far). Para o jornal, o filme de Petra é uma "crônica da traição cívica e do abuso de poder". 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247