Ministro da Cultura do golpe ataca Roger Waters

Sérgio Sá Leitão, ministro da Cultura do governo Michel Temer, usou o Twitter para acusar o ex-líder da banda Pink Floyd, Roger Waters, de receber R$ 90 milhões para fazer "campanha eleitoral disfarçada de show"; segundo ele, Waters "chamou "Bolsonaro de 'insano' e 'corrupto'. Sem provas, claro. Disse aos fãs que não voltará ao Brasil caso ele ganhe. Isso sim é caixa 2 e campanha ilegal", postou em referência as denúncias de que empresários estariam bancando, por meio de caixa 2, um esquema ilegal de disparos de mensagens em massa por aplicativos contra  Fernando Haddad, e o PT

Ministro da Cultura do golpe ataca Roger Waters
Ministro da Cultura do golpe ataca Roger Waters (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

247 - Sérgio Sá Leitão, ministro da Cultura do governo Michel Temer, usou o Twitter para acusar o músico inglês e ex-líder da banda Pink Floyd, Roger Waters, de receber R$ 90 milhões para fazer "campanha eleitoral disfarçada de show" durante sua turnê por diversos estados do Brasil.

"Roger Waters recebeu cerca de R$ 90 milhões para fazer campanha eleitoral disfarçada de show ao longo do 2º turno. Na Folha, chamou Bolsonaro de 'insano' e 'corrupto'. Sem provas, claro. Disse aos fãs que não voltará ao Brasil caso ele ganhe. Isso sim é caixa 2 e campanha ilegal", postou em referência as denúncias de que empresários estariam bancando, por meio de caixa 2, um esquema ilegal de disparos de mensagens em massa por aplicativos contra o candidato do campo democrático à Presidência da República, Fernando Haddad, e o PT.

Com a repercussão de sua postagem no Twitter, Leitão garantiu que não estava postando "fake news. "Obrigado a você que chamou de fake news meu post sobre Roger Waters. Prova de incoerência. Por muito menos, acusou Bolsonaro de caixa 2 e campanha ilegal. Sem provas. E o que eu disse é verdade: ele recebeu R$ 90 milhões por shows/entrevistas; e está em campanha contra Bolsonaro", disparou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247