Barragem da Vale rompe em Brumadinho; ações passam de alta de 2% para queda de até 12%

Minutos após a divulgação da notícia sobre o rompimento da barragem da Vale na Mina do Feijão, em Brumadinho (MG), por volta das 13h30 (horário de Brasília), os ADRs (American Depositary Receipts) da empresa negociados na NYSE, que estavam subindo cerca de 3% na primeira hora do pregão, zeraram os ganhos; às 15h35, os papéis tinham queda de 7,37%, a US$ 13,77 (mas chegaram a bater queda de 12% por volta das 14h50)

Barragem da Vale rompe em Brumadinho; ações passam de alta de 2% para queda de até 12%
Barragem da Vale rompe em Brumadinho; ações passam de alta de 2% para queda de até 12% (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Infomoney - Uma barragem da Vale na Mina do Feijão, em Brumadinho (MG), sofreu rompimento na tarde desta sexta-feira (25). O Ministério do Meio Ambiente informou que 1 milhão de metros cúbicos de rejeito de mineração foi rompido - há três anos, a tragédia de Mariana envolveu 43,7 milhões de metros cúbicos de lama.

À AFP, um representante do Corpo de Bombeiros disse que há "vários mortos", mas não especificou quantos. O estado prepara um gabinete de crise para lidar com efeitos socioambientais.

Minutos após a divulgação da notícia, por volta das 13h30 (horário de Brasília), os ADRs (American Depositary Receipts) da Vale negociados na NYSE, que estavam subindo cerca de 3% na primeira hora do pregão, zeraram os ganhos. Às 15h35, os papéis tinham queda de 7,37%, a US$ 13,77 (mas chegaram a bater queda de 12% por volta das 14h50).

Em nota, a Vale disse que as primeiras informações indicam que os rejeitos atingiram a área administrativa da companhia e parte da comunidade da Vila Ferteco.

"A Vale acionou o Corpo de Bombeiros e ativou o seu Plano de Atendimento a Emergências para Barragens", disse a empresa. "A prioridade total da Vale, neste momento, é preservar e proteger a vida de empregados e de integrantes da comunidade".

Em seu Twitter, o presidente Jair Bolsonaro disse lamentar o ocorrido. "Determinei o deslocamento dos Ministros do Desenvolvimento Regional e Minas e Energia, bem como nosso Secretário Nacional de Defesa Civil para a região", escreveu. Segundo ele, a maior preocupação agora é "atender eventuais vítimas desta grave tragédia".

Moradores da parte mais baixa da cidade, na região metropolitana de Belo Horizonte, serão retirados de suas casas, segundo a Defesa Civil. O perfil da Prefeitura de Brumadinho no Instagram solicitou que a população mantenha distância do leito do Rio Paraopeba.

O museu a céu aberto Inhotim, que também fica na cidade, informou ao G1 que está retirando funcionários e visitantes de suas dependências por precaução.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247