Bitcoin é 'arma financeira chinesa' que ameaça o dólar norte-americano, diz cofundador do PayPal

A avaliação foi do bilionário alemão Peter Thiel, cofundador do serviço de pagamentos on-line PayPal. Segundo ele, o governo chinês pode estar apoiando o bitcoin, a criptomoeda mais importante do mundo, como uma forma de minar a política externa e monetária dos EUA

Bilionário alemão Peter Thiel, cofundador do serviço de pagamentos on-line PayPal
Bilionário alemão Peter Thiel, cofundador do serviço de pagamentos on-line PayPal (Foto: Fred Prouser / Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Sputnik - Durante evento virtual, investidor alemão, que é um grande investidor em empreendimentos de moedas virtuais, disse que acredita que a mais famosa criptomoeda do mundo pode estar minando os EUA.

O governo chinês pode estar apoiando o bitcoin, a criptomoeda mais importante do mundo, como uma forma de minar a política externa e monetária dos EUA, afirmou o bilionário alemão Peter Thiel, cofundador do serviço de pagamentos on-line PayPal.

Mesmo sendo uma pessoa pró-criptografia e pró-bitcoin maximalista, eu me pergunto se, neste ponto, o bitcoin também deve ser considerado em parte como uma arma financeira chinesa contra os EUA", disse o cofundador do PayPal, Peter Thiel.

Thiel, que é um grande investidor em empreendimentos de moedas virtuais, bem como nas próprias criptomoedas, defende que os EUA deveriam considerar regulamentações mais rígidas sobre criptomoedas. O bilionário também disse que a China tentou denominar os negócios do petróleo em euros nos últimos anos, em uma tentativa de minar a posição global do dólar norte-americano.

"Isso ameaça o dinheiro fiduciário, mas ameaça especialmente o dólar norte-americano [...]. Acho que o euro, você pode imaginar como parte de uma arma chinesa contra o dólar, a última década não funcionou realmente assim, mas a China gostaria de ver duas moedas de reserva, como o euro", disse Thiel durante evento virtual realizado para membros da Fundação Richard Nixon.

O investidor de risco especulou que Pequim não quer realmente que o yuan chinês se torne a moeda de reserva global, alegando que o governo teria que "abrir suas contas de capital", entre outras medidas "que eles realmente não querem fazer".

"A China quer fazer coisas para enfraquecer [o dólar], a aposta longa da China é o bitcoin e, talvez, de uma perspectiva geopolítica, os EUA deveriam estar fazendo algumas perguntas mais difíceis sobre exatamente como isso funciona", concluiu Thiel.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email