BNDES vira cabide de emprego com super salários

O BNDES vai cortar 42 cargos técnicos para abrigar mais duas diretorias com supersalários de quase R$ 100 mil. O presidente Gustavo Montezano segue orientação de Jair Bolsonaro, que já demonstrou o desejo de acabar com o banco.

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O BNDES vai cortar 42 cargos técnicos para abrigar mais duas diretorias com supersalários de quase R$ 100 mil. O presidente Gustavo Montezano segue orientação de Jair Bolsonaro, que já demonstrou o desejo de acabar com o banco. 

Segundo a reportagem do jornal O Globo, "o valor engloba honorário mensal, plano de saúde, auxílio moradia, auxílio alimentação e remuneração variável anual."

A reportagem destaca que o banco não "quis comentar a informação, mas fontes afirmaram que os cortes foram aprovados pela diretoria na quarta-feira e comunicados ao Conselho de Administração na sexta. No mesmo dia, o Conselho aprovou a indicação de quatro diretores: Fábio Abrahão (Infraestrutura), Petrônio Cançado (Crédito e Garantia), Saulo Puttini (Assuntos Jurídicos) e Leonardo Cabral (Privatizações)."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247