Boeing, que comprou a Embraer, tem prejuízo que quase US$ 3 bi

A norte-americana Boeing, que comprou a Embraer no início do programa de privatizações do governo Jair Bolsonaro, registrou um prejuízo de que quase US$ 3 bilhões no segundo trimestre, em resultado afetado pela prolongada suspensão dos seus modelos 737 MAX

Reuters - A Boeing Co divulgou um prejuízo de que quase 3 bilhões de dólares no segundo trimestre nesta quarta-feira, em resultado afetado pela prolongada suspensão dos seus modelos 737 MAX.

A maior fabricante de aviões do mundo não tem sido capaz de entregar qualquer aeronave 737 MAX desde que o modelo mais vendido da companhia foi colocado em solo em março após dois acidentes fatais na Etiópia e Indonésia, que mataram 346 pessoa em um período de cinco meses.

A Boeing divulgou uma provisão de 4,9 bilhões de dólares na semana passada, que inclui a compensação que a fabricante terá que pagar às companhias aéreas por atraso nas entregas.

“Este é um momento decisivo para a Boeing e continuamos focados em nossos valores duradouros de segurança, qualidade e integridade em tudo o que fazemos, enquanto trabalhamos para devolver com segurança o 737 MAX ao serviço”, disse o presidente-executivo da Boeing, Dennis Muilenburg, nesta quarta-feira.

A Boeing reportou um prejuízo de 2,94 bilhões de dólares para o trimestre encerrado em 30 de junho, ante lucro de 2,2 bilhões de dólares um ano antes.

As vendas recuaram 35%, para 15,75 bilhões de dólares e também ficaram abaixo das expectativas de analistas, de 18,55 bilhões de dólares, de acordo com dados IBES da Refinitiv.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247