Bolsa bate 62.000 pontos pela 1ª vez em 2 anos com China e Petrobras

O Ibovespa registra ganhos na sessão desta sexta-feira, em dia de noticiário movimentado após a surpresa positiva com a China e o anúncio de nova política de preços e redução do preço dos combustíveis pela Petrobras; às 10h48, o índice registrava ganhos de 1,46%, a 62.010 pontos, maior patamar desde 3 de setembro de 2014; as ações da Petrobras registram ganhos superiores a 2% com o anúncio de redução do preço de 3,2% na gasolina e de 2,7% nas refinarias

O Ibovespa registra ganhos na sessão desta sexta-feira, em dia de noticiário movimentado após a surpresa positiva com a China e o anúncio de nova política de preços e redução do preço dos combustíveis pela Petrobras; às 10h48, o índice registrava ganhos de 1,46%, a 62.010 pontos, maior patamar desde 3 de setembro de 2014; as ações da Petrobras registram ganhos superiores a 2% com o anúncio de redução do preço de 3,2% na gasolina e de 2,7% nas refinarias
O Ibovespa registra ganhos na sessão desta sexta-feira, em dia de noticiário movimentado após a surpresa positiva com a China e o anúncio de nova política de preços e redução do preço dos combustíveis pela Petrobras; às 10h48, o índice registrava ganhos de 1,46%, a 62.010 pontos, maior patamar desde 3 de setembro de 2014; as ações da Petrobras registram ganhos superiores a 2% com o anúncio de redução do preço de 3,2% na gasolina e de 2,7% nas refinarias (Foto: Gisele Federicce)

Do Infomoney - O Ibovespa registra ganhos na sessão desta sexta-feira, em dia de noticiário movimentado após a surpresa positiva com a China e o anúncio de nova política de preços e redução do preço dos combustíveis pela Petrobras na manhã de hoje. Às 10h48 (horário de Brasília), o Ibovespa registrava ganhos de 1,46%, a 62.010 pontos, atingindo o maior patamar desde 3 de setembro de 2014.

As ações da Petrobras registram ganhos superiores a 2% com o anúncio de nova política de preços após o anúncio de redução do preço de 3,2% na gasolina e de 2,7% nas refinarias. De acordo com o BTG Pactual, no geral, a notícia é positiva para a Petrobras. "Se por um lado a diminuição de preços afeta o receita líquida da empresa, a previsibilidade na precificação de combustíveis diminui bem o risco do negócio e aumenta as chances de sucesso nas parcerias no refino, que fazem parte do plano de desinvestimento de 2017-2018", destacam os analistas.

A companhia informou que a política de preços a ser praticada pela empresa terá quatro princípios: i) o preço de paridade internacional (PPI), que já inclui custos como frete de navios, custos internos de transporte e taxas portuárias; ii) uma margem para remuneração dos riscos inerentes à operação, tais como, volatilidade da taxa de câmbio e dos preços, sobre estadias em portos e lucro, além de tributos; iii) nível de participação no mercado e iv) preços nunca abaixo da paridade internacional. Confira mais clicando aqui.

O anúncio da estatal também repercute no mercado de juros futuros uma vez que a decisão deve levar a uma desaceleração da inflação, confirmando a expectativa de um corte de 50 pontos-base na Selic na próxima reunião do Copom, que será realizada no dia 19. O contrato de DI com vencimento em janeiro de 2021, marcava queda de 0,07 ponto percentual, a 11,23%, após a decisão da Petrobras abrir espaço para um corte da Selic na próxima reunião do Copom (Comitê de Política Monetária). "A decisão da Petrobras foi surpresa total e DIs reagem em baixa. Essa revisão nos preços vai arrefecer a inflação", disse a Mirae Asset. Os juros mais curtos também caíam hoje: o DI com vencimento em 2017 recuava 0,02 p.p., a 13,61%.

As ações da Vale também registram alta após a queda da véspera, seguindo mais uma vez os dados da China, que também animam os mercados mundiais. Os preços ao produtor na China subiram inesperadamente em setembro pela primeira vez em quase cinco anos, enquanto a inflação ao consumidor acelerou para 1,9% sobre o ano anterior, também superando as expectativas do mercado. "A continuidade da alta dos preços ao produtor tem boas chances de ocorrer e terá impactos importantes na economia. Os preços industriais em alta melhoram a rentabilidade das empresas e aumentam sua capacidade honrar os seus compromissos financeiros, o que é positivo para a saúde financeira dos bancos", destaca a LCA. Além disso, o minério de ferro negociado em Qingdao fechou em alta de 1,07%, a US$ 57,28 a tonelada, o que também impulsiona os papéis da mineradora.

Por outro lado, as ações da Cielo caem cerca de 4%, após o anúncio da saída do CEO da companhia Rômulo Dias, que será diretor executivo no Bradesco. Confira mais informações clicando aqui.

As ações da Embraer também sobem após a companhia anunciar que despachou a clientes 54 jatos comerciais e executivos no terceiro trimestre ante 51 aeronaves entregues no mesmo período do ano passado, informou a companhia nesta sexta-feira. A empresa afirmou que a carteira de pedidos firmes a entregar encerrou o trimestre passado em US$ 21,4 bilhões ante posição de US$ 22,8 bilhões no final de setembro de 2015. O BTG Pactual destacou que a companhia registrou fortes números, acima das baixas expectativas do banco.

Dados nos EUA e falas do Fed
Os mercados monitoram ainda falas da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, às 13h30 (horário de Brasília). Ao longo do dia, outros três representantes do banco central americano também fazem pronunciamentos: ; Loretta Mester, de Cleveland (13h00); Neel Kashari, Minneapolis (21h00). O presidente do Federal Reserve de Boston, Eric Rosengren, endossou nesta sexta-feira as chances "muito altas" que os mercados financeiros precificaram de uma alta dos juros nos Estados Unidos em dezembro. "O mercado parece pensar que há uma probabilidade muito elevada de (alta em) dezembro. Vamos ver como os dados econômicos realmente vêm, mas eu acho que essa precificação é apropriada", disse Rosengren à CNBC.

Entre os indicadores a serem conhecidos nos Estados Unidos, as vendas no varejo subiram 0,6% em setembro, em linha com o esperado. Também saem os dados de estoques das empresas (11h00) e os números preliminares sobre sentimento do consumidor em outubro (11h00).

Michel Temer
Na agenda doméstica, o presidente Michel Temer chega à Índia, onde participará de encontro dosBrics. Além disso, Temer disse ontem (13) que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que prevê teto para os gastos públicos por 20 anos, poderá ser revista daqui a “quatro, cinco ou seis anos”, a depender da situação do país. “Fixamos 20 anos, que é um longo prazo. Mas eu pergunto: não se pode daqui quatro, cinco, seis anos; de repente o Brasil cresce, aumenta a arrecadação e pode se modificar isso? Pode. Propõe uma nova emenda constitucional que reduz o prazo de dez anos para quatro, cinco”, disse Temer em entrevista à jornalista Miriam Leitão, exibida na noite de ontem pela Globonews.

Na agenda política, o ministro da Fazenda Henrique Meirelles se reúne com o presidente do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli, além de reunião com a presidente do STF, Carmen Lúcia, 12h no STF, e com a advogada-geral da União, Grace Mendonça, às 16h.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247