Bolsonaro anuncia abertura para estrangeiros em licitações públicas

Dando continuidade à sua agenda entreguista e que fere cada vez mais a soberania nacional, Jair Bolsonaro afirmou que autorizou "o início da acessão do Brasil ao Acordo de Compras Públicas da OMC". "Em respeito ao dinheiro do pagador de imposto, buscaremos licitações mais transparentes e com ampla concorrência internacional", disse

(Foto: ADRIANO MACHADO - REUTERS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Dando continuidade à sua agenda entreguista e que fere cada vez mais a soberania nacional, Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (23) que autorizou a entrada do Brasil no Acordo de Compras Públicas da Organização Mundial do Comércio (OMC). De acordo com o governo, será dado um tratamento isonômico a empresas estrangeiras que queiram participar de licitações e concorrências públicas no Brasil.

"Autorizei o início da acessão do Brasil ao Acordo de Compras Públicas da OMC. Em respeito ao dinheiro do pagador de imposto, buscaremos licitações mais transparentes e com ampla concorrência internacional, abrindo ainda um mercado de USD 1,7 trilhão/ano p/ empresas brasileiras", escreveu ele no Twitter.

Após o golpe contra Dilma Rousseff, a agenda entreguista veio com força no Brasil, tendo à frente o governo Michel Temer e agora Jair Bolsonaro, que usa o argumento de crise para justificar uma política que atenda a interesses de estrangeiros, em especial, dos Estados Unidos. Um entreguismo que, desde 2016, quando a então presidente Dilma foi afastada sem crime de responsabilidade, não tem se traduzido em geração de empregos formais e aumento do poder de consumo. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247