Bolsonaro quer barrar indenização a profissionais de saúde afastados por Covid

Ministério da Economia é contra projeto que prevê indenização a profissionais de saúde incapacitados durante o trabalho. Mais de 200 profissionais de enfermagem já morreram após exposição ao vírus. Entre os médicos, são cerca de 140 óbitos

Bolsonar, Guedes e internações por Covid
Bolsonar, Guedes e internações por Covid (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli | Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério da Economia do governo Bolsonaro, comandado por Paulo Guedes, é contra um projeto que prevê indenização a profissionais de saúde incapacitados durante o trabalho após terem se infectado com Covid-19 e reparação a cônjuges e dependentes de profissionais que morreram em decorrência do coronavírus.

Mais de 200 profissionais de enfermagem já morreram após exposição ao vírus enquanto trabalhavam, segundo dados de entidades do setor. Cerca de 140 médicos morreram, de acordo com organizações que reúnem dados do País.

O posicionamento do governo sobre o projeto foi exposto em uma nota conjunta elaborada por duas secretarias, uma subsecretaria e duas coordenações da pasta no último dia 3, informa reportagem do Globo.

O motivo para barrar a proposta: integrantes do governo estimam um impacto à previdência social na ordem de R$ 1,7 bilhão a R$ 3,7 bilhões.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email