Bovespa cai 10% e para pela primeira vez desde 2008

Às 10h58 (horário de Brasília), o Ibovespa caía 8,57%, a 61.750 pontos, após ter acionado pela primeira vez o mecanismo de circuit breaker, com os investidores já precificando os maiores riscos de queda do peemedebista e subsequente suspensão na tramitação da agenda de reformas do governo

Às 10h58 (horário de Brasília), o Ibovespa caía 8,57%, a 61.750 pontos, após ter acionado pela primeira vez o mecanismo de circuit breaker, com os investidores já precificando os maiores riscos de queda do peemedebista e subsequente suspensão na tramitação da agenda de reformas do governo
Às 10h58 (horário de Brasília), o Ibovespa caía 8,57%, a 61.750 pontos, após ter acionado pela primeira vez o mecanismo de circuit breaker, com os investidores já precificando os maiores riscos de queda do peemedebista e subsequente suspensão na tramitação da agenda de reformas do governo (Foto: Gisele Federicce)

Do Infomoney - O clima de terremoto político, em meio às robustas denúncias de suposta obstrução de Justiça por parte do presidente Michel Temer na operação Lava Jato, repercute nas decisões dos investidores no mercado nacional no pregão desta quinta-feira (18). Às 10h58 (horário de Brasília), o Ibovespa caía 8,57%, a 61.750 pontos, após ter acionado pela primeira vez o mecanismo de circuit breaker, com os investidores já precificando os maiores riscos de queda do peemedebista e subsequente suspensão na tramitação da agenda de reformas do governo.

No mesmo horário, os contratos de juros futuros com vencimento em janeiro de 2018 disparavam 100 pontos-base, a 10,07%, ao passo que os DIs com vencimento em janeiro de 2021 avançavam 177 pontos, a 11,39%, no limite de alta estabelecido pela B3. Os contratos de dólar futuro com vencimento em junho deste ano subiam 8,61%, sinalizando cotação de R$ 3,417, também no limite alta estabelecido pelo mercado brasileiro.

Confira ao que se atentar neste pregão:

Bomba em Brasília

Os mercados reage aos desdobramentos da notícia de O Globo, sobre a gravação, feita pelos donos da JBS mostrando o presidente Michel Temer dando aval para compra do silêncio de Eduardo Cunha. Ativos brasileiros como títulos e ações despencam no exterior, com o ETF brasileiro EWZ caindo cerca de 16% no pré-market da Bolsa de Nova York, enquanto o ADR da Petrobras cai cerca de 18%. O ADR da Vale despenca 10,54%, o do Itaú Unibanco despenca 12%, enquanto o Bradesco tem uma derrocada de 13%.

Segundo o jornal, o executivo disse que Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). Posteriormente, Rocha foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. Diante da informação, Temer incentivou: "Tem que manter isso, viu?". Joesley disse ainda que pagou R$ 5 milhões para Cunha após sua prisão. Aliados do governo já estariam pedindo renúncia do presidente, enquanto oposição pede impeachment.

Vale destacar que o InfoMoney fará uma transmissão especial ao vivo minutos antes da bolsa abrir pra mostra a reação em tempo real do mercado.

Operação da Polícia Federal

A tensão política é realçada por operação da PF que mira o senador e presidente do PSDB Aécio Neves. O STF determinou o afastamento do tucano do mandato de

senador e do deputado Rocha Loures (PMDB-PR) do mandato de deputado federal. Com relação ao senador Zezé Perrela (PMDB-MG), o mandado é de busca e apreensão. A PF cumpre na manhã desta quinta-feira mandado de busca e apreensão em um apartamento do senador no Rio de Janeiro, em um desdobramento da operação Lava Jato. A operação, um desdobramento da Lava Jato, foi deflagrada depois que Aécio foi gravado pedindo 2 milhões de reais a Joesley Batista.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247