Brasil tem o menor crescimento entre os Brics

No primeiro trimestre, crescimento de 0,2% na economia brasileira foi menor até que os 2,1% registrados pela África do Sul e se manteve a um abismo de distância dos 8,1% da China; no País, o destaque foi para a indústria, seguida pelos serviços e, por último, com queda de 7,3%, pela agropecuária

Brasil tem o menor crescimento entre os Brics
Brasil tem o menor crescimento entre os Brics (Foto: Montagem/247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Brasil - O Brasil teve o menor crescimento econômico entre os Brics (grupo que reúne Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul) no primeiro trimestre deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. O crescimento de 0,8% do Brasil foi menor que os 2,1% da África do Sul, os 4,9% da Rússia, os 5,3% da Índia e os 8,1% da China. As informações foram divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com base em dados de institutos de estatística internacionais e do Banco Mundial.

Na comparação do primeiro trimestre deste ano com o último de 2011, o crescimento de 0,2% do Brasil foi melhor que os desempenhos da Itália (-0,8%), Holanda (-0,2%), Reino Unido (-0,3%), Espanha (-0,3%), Portugal (-0,1%) e França (0%). Mas foi pior que o de países como Chile (1,4%), México (1,3%), Japão (1,0%), Coreia do Sul (0,9%), Alemanha (0,5%) e Estados Unidos (0,5%).

Crescimento brasileiro

O principal responsável pela alta do PIB brasileiro foi a indústria de transformação, que cresceu 1,9%. O setor industrial como um todo foi o principal segmento da economia no período, com crescimento de 1,7%, o melhor resultado desde o primeiro trimestre de 2010, quando havia registrado alta de 2,6%. Já os setores que mais puxaram o PIB para baixo foram a agropecuária (-7,3%), intermediação financeira (-0,8%) e extrativa mineral (-0,5%). O setor de serviços teve alta de 0,6%. A soma das riquezas geradas pela economia no período foi de R$ 1,03 trilhão.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247