Brasil tem superávit de US$798 mi nas transações correntes em março, melhor que esperado

O Brasil registrou superávit em transações correntes de 798 milhões de dólares em março, resultado novamente guiado pelo desempenho da balança comercial e acima do esperado, ao mesmo tempo em que investimentos produtivos que vieram de fora também vieram fortes

O Brasil registrou superávit em transações correntes de 798 milhões de dólares em março, resultado novamente guiado pelo desempenho da balança comercial e acima do esperado, ao mesmo tempo em que investimentos produtivos que vieram de fora também vieram fortes
O Brasil registrou superávit em transações correntes de 798 milhões de dólares em março, resultado novamente guiado pelo desempenho da balança comercial e acima do esperado, ao mesmo tempo em que investimentos produtivos que vieram de fora também vieram fortes (Foto: Leonardo Lucena)

BRASÍLIA (Reuters) - O Brasil registrou superávit em transações correntes de 798 milhões de dólares em março, resultado novamente guiado pelo desempenho da balança comercial e acima do esperado, ao mesmo tempo em que investimentos produtivos que vieram de fora também vieram fortes.

No mês passado, os investimentos diretos no país (IDP) somaram 6,539 bilhões de dólares, informou também o Banco Central nesta quarta-feira. Em pesquisa Reuters com analistas, a expectativa era de que o resultado da conta corrente seria nulo e, para o IDP, de 4,5 bilhões de dólares.

A performance das transações correntes, contudo, veio pior que a observada no mesmo mês do ano passado, quando o saldo positivo somou 1,386 bilhão de dólares.

O BC informou que a balança comercial foi positiva em 5,974 bilhões de dólares em março, mas abaixo do patamar de 6,931 bilhões de dólares de igual mês do ano passado. Isso ocorreu pelo maior ritmo de crescimento das importações em relação às exportações, num quadro de crescimento da economia.

Ao mesmo tempo, os gastos líquidos de brasileiros no exterior subiram 11 por cento na mesma base de comparação, a 980 milhões de dólares.

Por sua vez, as remessas de lucros e dividendos ficaram praticamente estáveis a 1,845 bilhão de dólares em março, sobre 1,874 bilhão de dólares no mesmo mês de 2017.

O BC informou ainda que, no primeiro trimestre deste ano, o déficit nas transações correntes ficou em 3,219 bilhões de dólares, menor que o rombo de 4,644 bilhões de dólares em igual período do ano passado.

Em 12 meses, o déficit ficou em 0,41 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

Por Marcela Ayres

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247