Com rombo recorde, Temer já estoura a meta de 2017

Apesar do discurso de austeridade, Michel Temer segue provocando estragos nas contas públicas; causador do maior rombo da história, o peemedebista já estourou a meta de 2017; os 12 meses encerrados em setembro (métrica que mostra o comportamento de longo prazo das contas públicas), o deficit do governo federal é de R$ 169,9 bilhões –valor R$ 10 bilhões superior à meta de deficit prevista para este ano, de R$ 159 bilhões  

Brasília - Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o presidente Michel Temer durante anuncio do pacote de medidas econômicas (Beto Barata/PR)
Brasília - Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o presidente Michel Temer durante anuncio do pacote de medidas econômicas (Beto Barata/PR) (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Em setembro, houve uma discreta melhora na arrecadação federal. Ainda assim, o resultado das contas públicas segue negativo em R$ 169,9 bilhões.

A inversão da tendência se deveu, em parte, a um fator extraordinário. Da alta de R$ 8 bilhões registrada em setembro ante o mesmo mês do ano anterior, R$ 3,3 bilhões foram obtidos com o Refis, programa de parcelamento de dívidas com o fisco.

 Outro R$ 1 bilhão veio do aumento do PIS/Cofins sobre os combustíveis. O Tesouro credita o restante do aumento (R$ 3,7 bilhões) à melhor arrecadação com a recuperação da economia.

Nos 12 meses encerrados em setembro (métrica que mostra o comportamento de longo prazo das contas públicas), o deficit do governo federal é de R$ 169,9 bilhões –valor R$ 10 bilhões superior à meta de deficit prevista para este ano, de R$ 159 bilhões.

Neste ano até setembro, enquanto as despesas totais do governo subiram 0,7% ante o mesmo período de 2016, as despesas discricionárias recuaram 14%. O investimento encolheu 36%.

O PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) já foi desidratado em 44% neste ano e o Minha Casa, Minha Vida, em 60%.

As informações são de reportagem de Mariana Carneiro na Folha de S.Paulo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247