Comércio exterior da China atinge novo recorde em 2021

O comércio total de mercadorias foi de US$ 6,05 trilhões, um aumento de US$ 1,4 trilhão em relação ao ano anterior

www.brasil247.com -
(Foto: Mídia chinesa)
Siga o Brasil 247 no Google News

(Xinhua) – O comércio exterior da China subiu mais um degrau em 2021, ultrapassando 6 trilhões de dólares pela primeira vez, apesar da pandemia de COVID-19 continuar pesando no comércio global, mostraram dados oficiais na sexta-feira.

O comércio total de mercadorias foi de US$ 6,05 trilhões, um aumento de US$ 1,4 trilhão em relação ao ano anterior, segundo a Administração Geral de Alfândegas (GAC).

O volume de comércio em termos de yuans aumentou 21,4% ano a ano, para 39,1 trilhões de yuans, com exportações subindo 21,2%, para 21,73 trilhões de yuans, e importações, 21,5%, para 17,37 trilhões de yuans.

PUBLICIDADE

"A China tem estado na vanguarda do desenvolvimento econômico e da resposta à pandemia globalmente e manteve um rápido crescimento no comércio exterior, que registrou um recorde de volume e um progresso constante na qualidade", disse o porta-voz do GAC, Li Kuiwen.

As importações e exportações do país com seus três principais parceiros comerciais - ASEAN, União Européia e Estados Unidos - ganharam 19,7%, 19,1% e 20,2%, respectivamente, enquanto seu comércio com o Japão e a República da Coreia subiu 9,4% e 18,4 por cento.

O volume de comércio com as economias envolvidas na Iniciativa do Cinturão e Rota registrou um aumento acima da média de 23,6%.

PUBLICIDADE

O crescimento comercial duramente conquistado da China veio como um ressurgimento das infecções por COVID-19, dominadas pelas variantes Delta e Omicron, causando um grande golpe na cadeia de suprimentos global e interrompendo seriamente o fluxo de mercadorias.

Enquanto muitas partes do mundo lutavam com fábricas fechadas e congestionamentos em portos e estações ferroviárias, a China, a primeira a se recuperar do choque da pandemia, transportou produtos extremamente necessários, de necessidades diárias a eletrônicos e medicamentos, com rapidez e segurança para mercados em todo o mundo. globo.

As exportações da China de materiais médicos e medicamentos mais que dobraram no ano passado, e os produtos relacionados à economia de ficar em casa, como laptops e eletrodomésticos, registraram um aumento de 13,2% após um crescimento já forte em 2020.

PUBLICIDADE

As centenas de milhões de máscaras faciais, roupas de proteção, kits de teste e doses de vacina fornecidas pela China à comunidade global desde o surto de COVID-19 ajudaram a combater a pandemia e facilitaram a recuperação econômica global, disse Li.

Enquanto isso, as importações robustas do país também deram um impulso às economias de todo o mundo que ainda estavam sofrendo com a pandemia.

Em 2021, as compras da China de produtos intermediários e de consumo no exterior aumentaram 24,9% e 9,9%, respectivamente, em relação a um ano atrás em 2021, mostram os dados do GAC. As importações do país representaram 12,1% do total mundial nos três primeiros trimestres de 2021, um aumento de 0,5 ponto percentual em relação ao ano anterior.

PUBLICIDADE

"A abertura mais ampla da China permitiu que o mundo desfrutasse de mais dividendos de seu crescimento econômico e consumo próspero", disse Li. O país se tornou o segundo maior importador do mundo em 2009.

Os dados de sexta-feira também aumentaram a evidência de uma economia chinesa resiliente e tranquilizaram os investidores e observadores globais de que o país continua sendo um poderoso motor de crescimento e desenvolvimento global.

As exportações dinâmicas tornaram-se um pilar da economia da China, disse Zhang Zhiwei, economista-chefe da Pinpoint Asset Management.

O comércio exterior da China atingiu a marca de 4 trilhões de dólares em 2013 e ultrapassou 5 trilhões e 6 trilhões de dólares de uma só vez em 2021. O incremento comercial no ano passado equivale ao volume total em 2005.

Graças ao comércio dinâmico, esperava-se que a economia chinesa terminasse 2021 com uma nota forte e começaria bem este ano. Em suas últimas previsões, o Banco Mundial colocou o crescimento real do PIB da China para 2021 em cerca de 8%, moderando levemente em 2022 para 5,1% ainda sólidos.

“As exportações do país permanecerão fortes no primeiro trimestre deste ano, pois a demanda global permanece robusta e a pandemia piora em muitos países em desenvolvimento”, disse Zhang.

O Bureau Nacional de Estatísticas divulgará na segunda-feira uma série de indicadores econômicos para 2021, incluindo o PIB do país, produção industrial, investimento em ativos fixos e vendas no varejo.

Apesar de um 2021 satisfatório, Li destacou que o comércio exterior da China enfrentará crescente incerteza e instabilidade este ano, pois a pandemia continua grave em todo o mundo e a recuperação da demanda global está desacelerando.

"Dadas essas dificuldades e desafios, devemos reconhecer que a economia da China é resiliente e seus sólidos fundamentos de longo prazo permanecerão inalterados", disse Li, expressando confiança inabalável na estabilização do comércio exterior.

O governo chinês divulgou novas diretrizes na terça-feira para aliviar as pressões sobre as empresas de comércio exterior e manter as exportações e importações estáveis.

As diretrizes detalham medidas, incluindo apoio fiscal e financeiro para empresas de comércio exterior, incentivos para novas formas de negócios e esforços para aliviar os riscos da cadeia de suprimentos e aumentar ainda mais a liberalização e facilitação do comércio.

Também uma boa notícia para os esforços da China para manter o crescimento do comércio, o acordo Regional Comprehensive Economic Partnership (RCEP), assinado por 15 países da Ásia-Pacífico, incluindo a China, entrou em vigor em 1º de janeiro, criando o maior bloco comercial do mundo.

As importações e exportações da China com os outros 14 membros da RCEP combinadas aumentaram 18,1% ano a ano, para 12,07 trilhões de yuans em 2021, representando 30,9% do comércio exterior total do país.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email