Congresso dos EUA cogita propor a divisão das “big techs”: Google, Apple, Amazon e Facebook

A separação dos ativos dessas empresas ocorreria para evitar monopólios e promover a concorrência

(Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

WASHINGTON (Reuters) - O relatório antitruste da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos sobre as empresas de grande tecnologia contém uma "chamada velada para separar" as empresas, disse o congressista republicano Ken Buck em um esboço de resposta visto pela Reuters.

O subcomitê antitruste da Câmara deve publicar seu relatório esta semana na Amazon.com Inc, Apple Inc, Facebook Inc e Alphabet Inc. proprietária do Google

Um representante de Buck confirmou à Reuters a autenticidade do rascunho de resposta, relatado pela primeira vez pelo site Politico.

No rascunho, Buck disse que compartilhava das preocupações dos democratas sobre o poder das grandes empresas de tecnologia, com sua propensão para "aquisições matadoras" para eliminar rivais e a auto-preferência em orientar os clientes para seus outros produtos.

No entanto, ele se opôs a um plano para exigir que eles delineassem uma “linha única de negócios” clara. A plataforma de mídia social Facebook também possui Instagram e WhatsApp, os negócios do provedor de mecanismo de pesquisa Google incluem YouTube e Android, e a líder de comércio eletrônico Amazon opera uma unidade de computação em nuvem enorme.

“Esta proposta é um apelo velado para separar as grandes empresas de tecnologia. Não concordamos com a abordagem da maioria”, escreveu Buck.

Ainda não se sabe quantos republicanos apoiarão o relatório, que está sendo liderado pelo presidente democrata David Cicilline. Relatórios e recomendações com apoio bipartidário costumam ter um impacto maior.

“O relatório oferece uma visão arrepiante de como a Apple, Amazon, Google e Facebook usaram seu poder para controlar como vemos e entendemos o mundo”, escreveu Buck.

Ele concordou com algumas das recomendações do relatório, como tornar mais fácil para o Departamento de Justiça e a Federal Trade Commission interromper as fusões, diminuindo o ônus da prova, e permitindo que os consumidores controlem seus dados por meio da portabilidade e interoperabilidade entre plataformas.

“Essas mudanças potenciais não precisam ser dramáticas para serem eficazes”, escreveu Buck.

Buck também disse que não estava satisfeito com o fato de o relatório não abordar as alegações conservadoras de que algumas plataformas tentaram abafar as vozes conservadoras.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247