Correios planejam poupar R$ 1 bilhão ao ano com demissões

Presidente dos Correios, Guilherme Campos, lançou nesta quinta-feira, 10, um plano de demissão voluntária na estatal, que deve atingir entre seis mil e oito mil dos 117 mil funcionários; expectativa da empresa é economizar entre R$ 850 milhões e R$ 1 bilhão por ano com a medida; segundo ele, principal despesa operacional da empresa diz respeito justamente aos salários; "Equivale a dois terços dos custos", afirmou

Presidente dos Correios, Guilherme Campos, lançou nesta quinta-feira, 10, um plano de demissão voluntária na estatal, que deve atingir entre seis mil e oito mil dos 117 mil funcionários; expectativa da empresa é economizar entre R$ 850 milhões e R$ 1 bilhão por ano com a medida; segundo ele, principal despesa operacional da empresa diz respeito justamente aos salários; "Equivale a dois terços dos custos", afirmou
Presidente dos Correios, Guilherme Campos, lançou nesta quinta-feira, 10, um plano de demissão voluntária na estatal, que deve atingir entre seis mil e oito mil dos 117 mil funcionários; expectativa da empresa é economizar entre R$ 850 milhões e R$ 1 bilhão por ano com a medida; segundo ele, principal despesa operacional da empresa diz respeito justamente aos salários; "Equivale a dois terços dos custos", afirmou (Foto: Aquiles Lins)

247 - O presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), Guilherme Campos, lançou nesta quinta-feira, 10, um plano de demissão voluntária na estatal, que deve atingir entre seis mil e oito mil dos 117 mil funcionários. A expectativa da empresa é economizar entre R$ 850 milhões e R$ 1 bilhão por ano com a medida. 

A principal despesa operacional da empresa, conforme explica Campos, diz respeito justamente aos salários. "Equivale a dois terços dos custos", afirmou. Depois de um prejuízo de R$ 2,1 bilhões no ano passado, a ECT deve praticamente repetir o vermelho em 2016, com um novo rombo de quase R$ 2 bilhões.

De acordo com Campos, os Correios sofreram não só com o represamento de tarifas postais no governo anterior, mas também com o pagamento de R$ 6 bilhões em dividendos ao Tesouro. Esse valor foi pago entre 2007 e 2013.

 

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247