Dilma: ‘Ao tempo que apregoa ajuste, governo Temer faz rombo crescer’

Em postagem no Facebook nesta tarde, a presidente eleita Dilma Rousseff disse que "o governo interino e provisório, ao tempo que apregoa ajuste fiscal, faz o rombo crescer R$ 125 bilhões até 2018", prejudicando a recuperação da economia e a população; "Não tem nem responsabilidade fiscal nem responsabilidade social. De um lado estoura os limites prudenciais do gasto e de outro lado quer cortar os gastos em saúde e educação, privatizar tudo e vender o pré-sal", aponta a presidente; ela chama ainda de "verdadeiro cheque especial" o limite de gastos pedido pelo governo Temer ao Congresso "muito superior ao que era necessário", a fim de que "permita 'bondades' com o objetivo de garantir o impeachment"

Em postagem no Facebook nesta tarde, a presidente eleita Dilma Rousseff disse que "o governo interino e provisório, ao tempo que apregoa ajuste fiscal, faz o rombo crescer R$ 125 bilhões até 2018", prejudicando a recuperação da economia e a população; "Não tem nem responsabilidade fiscal nem responsabilidade social. De um lado estoura os limites prudenciais do gasto e de outro lado quer cortar os gastos em saúde e educação, privatizar tudo e vender o pré-sal", aponta a presidente; ela chama ainda de "verdadeiro cheque especial" o limite de gastos pedido pelo governo Temer ao Congresso "muito superior ao que era necessário", a fim de que "permita 'bondades' com o objetivo de garantir o impeachment"
Em postagem no Facebook nesta tarde, a presidente eleita Dilma Rousseff disse que "o governo interino e provisório, ao tempo que apregoa ajuste fiscal, faz o rombo crescer R$ 125 bilhões até 2018", prejudicando a recuperação da economia e a população; "Não tem nem responsabilidade fiscal nem responsabilidade social. De um lado estoura os limites prudenciais do gasto e de outro lado quer cortar os gastos em saúde e educação, privatizar tudo e vender o pré-sal", aponta a presidente; ela chama ainda de "verdadeiro cheque especial" o limite de gastos pedido pelo governo Temer ao Congresso "muito superior ao que era necessário", a fim de que "permita 'bondades' com o objetivo de garantir o impeachment" (Foto: Gisele Federicce)

247 - A presidente eleita Dilma Rousseff apontou contradições na política econômica do governo interino de Michel Temer e afirmou ser preciso ficarmos "atentos" para que "a população não pague o pato do golpe".

"O governo interino e provisório, ao tempo que apregoa ajuste fiscal, faz o rombo crescer R$ 125 bilhões até 2018", criticou Dilma, em postagem feita em sua página no Facebook na tarde desta quinta-feira 30.

"Não tem nem responsabilidade fiscal nem responsabilidade social. De um lado estoura os limites prudenciais do gasto e de outro lado quer cortar os gastos em saúde e educação, privatizar tudo e vender o pré-sal", denunciou a presidente.

Ela chama ainda de "verdadeiro cheque especial" o limite de gastos pedido pelo governo Temer ao Congresso "muito superior ao que era necessário", a fim de que "permita 'bondades' com o objetivo de garantir o impeachment".

O governo Temer vem sendo criticado até mesmo pela mídia aliada (leia mais) por suas ações na economia. Ao mesmo tempo que aponta a dificuldade nas contas públicas e anuncia rombos recordes para 2016 e 2017, o vice-presidente declara renegociação de dívida com governadores, amplia o reajuste do Bolsa Família e apoia o aumento do salário dos servidores.

Confira abaixo a íntegra do texto postado por Dilma:

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247