Economistas ameaçam debandada se Tasso sair do comando do PSDB

Economistas ligados ao PSDB prometem abandonar a legenda se Tasso Jereissati, presidente interino do partido, deixar o comando tucano; a  economista e advogada Elena Landau não descarta a saída dela e dos economistas Edmar Bacha, Gustavo Franco e Luiz Roberto Cunha do PSDB caso o senador Tasso perca a disputa com Aécio Neves (MG) pela presidência do partido; também está em jogo o apoio da legenda ao governo Michel Temer (PMDB) depois da delação da JBS

Em pronunciamento na tribuna do Senado, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).
Em pronunciamento na tribuna do Senado, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). (Foto: Giuliana Miranda)

247 - A economista e advogada Elena Landau não descarta a saída dela e dos economistas Edmar Bacha, Gustavo Franco e Luiz Roberto Cunha do PSDB caso o senador Tasso Jereissati (CE) perca a disputa com Aécio Neves (MG) pela presidência do partido. Também está em jogo o apoio da legenda ao governo de Michel Temer (PMDB) depois da delação da JBS.

"Ou o Tasso vence essa briga e a gente recupera essa sigla ou [o partido] vai perder muita gente. Mas isso não cabe a mim. Não sou politica e não participo dessas decisões", disse Elena, em entrevista ao Valor.

Ela também defende que o PSDB entregue os quatro ministérios que ocupa no governo Temer, onde Antonio Imbassahy é ministro-chefe da Secretaria de Governo; Aloysio Nunes Ferreira, ministro das Relações Exteriores; Bruno Araújo mantém-se no Ministério das Cidades; e Luislinda Valois (BA), no dos Direitos Humanos. Afirma que o PSDB "não precisa ter ministro para apoiar uma mudança no Estado brasileiro".

As informações são de reportagem de Claudia Schuffner e Rodrigo Polito no Valor.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247