Eduardo Moreira: elite se revolta com furo no teto de gastos, mas não com a fome e a miséria

"Isso diz muito sobre a nossa elite, sobre o nosso governo e, infelizmente, sobre o nosso país", disse o economista

Eduardo Moreira
Eduardo Moreira (Foto: 247)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O economista Eduardo Moreira denunciou a elite brasileira, que prega o caos econômico após o furo no teto de gastos, mas não se indigna com a crise econômica e o aumento da miséria no Brasil. 

Em vídeo publicado no YouTube, ele cita dados que demonstram o aumento da procura por ossos, recordes de desmatamento, mais pessoas morando na rua, as mais de 600 mil mortes pela Covid-19, genocídio dos indígenas e o desemprego e inflação crescentes. 

"Nada disso foi capaz de indignar a nossa elite econômica, os bancos e os bilionários desse país como a notícia de que o teto de gastos ia ser furado", criticou o economista. "A revolta que a gente esperava ao perceber que a dor que a maior parte do país está vivendo por conta do que aconteceu nos últimos meses veio por conta de uma preocupação fiscal". 

PUBLICIDADE

O discurso dos banqueiros e da mídia tradicional se resume a uma suposta preocupação com as pessoas. "Eles dizem que, na verdade, é uma preocupação com as pessoas, pessoas com as quais eles nunca se preocuparam", afirmou Moreira. 

"Isso diz muito sobre a nossa elite, sobre o nosso governo e, infelizmente, sobre o nosso país", completou. 

PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email