Efeito eleitoreiro do empréstimo consignado do Auxílio Brasil dará até R$ 2,6 mil e aumentará endividamento dos mais pobres

Regulação da medida eleitoreira do governo para turbinar a campanha de reeleição de Jair Bolsonaro não estabelece um limite dos juros que poderão ser cobrados pelos bancos

www.brasil247.com -
(Foto: Leonardo Sá/Agência Senado | Marcello Casal jr/Agência Brasil | REUTERS/Adriano Machado)


247 - A equipe econômica está finalizando os detalhes para regulamentar os empréstimos consignados com desconto na folha dos beneficiários do Auxílio Brasil. A medida, que será implementada às pressas às vésperas das eleições, visa injetar recursos junto a parcela mais pobre da população com o objetivo de turbinar a campanha de reeleição de Jair Bolsonaro (PL). A medida provisória sobre o tema foi sancionada pelo atual ocupante do Palácio do Planalto na quarta-feira (3). 

Ao todo, os beneficiários do programa poderão receber até R$ 2,6 mil neste mês, por meio do novo piso de R$ 600 e R$ 2 mil em empréstimos. De acordo com o jornal O Globo, a regulamentação não vai estabelecer o teto de juros que poderão ser cobrados pelos bancos, deixando uma taxa livre. O comprometimento poderá chegar ao máximo de 40% do valor recebido considerando como base o benefício permanente, de R$ 400. O valor de R$ 600 é válido apenas até o mês de dezembro deste ano. 

O economista, professor da UFRRJ e coordenador da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan), Renato Maluf, afirma que a medida “é um remendo de caráter eleitoreiro. Eles tiveram quatro anos para tomar iniciativas em relação a esse segmento da população e desenharam um programa (Auxílio Brasil) que é muito criticado. É o tipo de resposta de quem não tem capacidade nem interesse de tratar a raiz dos problemas”. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A mesma avaliação é feita pela coordenadora do programa de serviços financeiros do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Ione Amorim. “Provavelmente essa medida é de cunho eleitoreiro, porque ela não foi planejada. Embora esse grupo necessite de um apoio do governo, esse segmento não deveria ser exposto a essa política de crédito, observa. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email