Embraer faz acordos para venda de nova família de jatos em feira britânica

A Embraer anunciou durante a feira britânica de aviação de Farnborough que a companhia aérea Wataniya Airways, do Kuwait, fez um pedido firme de 10 jatos E195-E2, incluindo direitos de compra para outras 10 aeronaves, em uma encomenda que pode atingir 1,3 bilhão de dólares segundo preços de tabela do modelo    

Embraer faz acordos para venda de nova família de jatos em feira britânica
Embraer faz acordos para venda de nova família de jatos em feira britânica
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SÃO PAULO (Reuters) - A Embraer anunciou nesta terça-feira novas encomendas e intenções de compra da nova família de jatos comerciais E2, em acordos com potencial de reforçar a carteira de pedidos da fabricante brasileira em alguns bilhões de dólares nos próximos meses.

A empresa anunciou durante a feira britânica de aviação de Farnborough que a companhia aérea Wataniya Airways, do Kuwait, fez um pedido firme de 10 jatos E195-E2, incluindo direitos de compra para outras 10 aeronaves, em uma encomenda que pode atingir 1,3 bilhão de dólares segundo preços de tabela do modelo. A encomenda será incluída na carteira de pedidos do terceiro trimestre e as entregas começam em 2020.

A companhia, que tenta obter aprovação para a venda do controle de sua divisão de jatos comerciais para a norte-americana Boeing, também assinou uma carta de intenção com a suíça Helvetic Airways, para a venda de 12 aviões E190-E2. A intenção inclui direitos de aquisição pela companhia aérea suíça de mais 12 aviões que poderão se transformar em E195-E2.

“Se todos os direitos de compra forem exercidos, o acordo (com a Helvetic) tem valor estimado em mais de 1,5 bilhão de dólares”, disse a Embraer, citando atual preço de lista dos modelos. As entregas começam no final do ano que vem.

Por Alberto Alerigi Jr.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247