Endividamento põe nota da Petrobras em risco

Luz amarela acesa na estatal aumenta pressão para o aumento no preço da gasolina e do diesel; reajustes podem ser feitos antes do dia 4, quando a companhia apresentará o resultado do quarto trimestre

Endividamento põe nota da Petrobras em risco
Endividamento põe nota da Petrobras em risco
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A Petrobras corre o risco de ter sua nota rebaixada pelas agências internacionais. Isso porque a estatal brasileira ultrapassou o limite de 2,5 vezes a relação entre dívida líquida sobre a geração de caixa medida pelo Ebitda – barreira usada como referência pelas agências de classificação de risco. De acordo com reportagem publicada pela Agência Estado, a informação sobre a ultrapassagem vem de fontes da própria petroleira.

Se tiver sua nota rebaixada, a companhia sofrerá com empréstimos mais caros, terá sua capacidade de investimentos mais limitada e ser forçada a vender ações. O risco de endividamento também pressiona ainda mais a decisão de aumentar o preço dos combustíveis. "Projeções internas dão conta de que, em parte do quarto trimestre, o limite teria ultrapassado a relação de 2,6 vezes. A luz vermelha acende ao redor de 3", explica a reportagem.

A situação atual da Petrobras, portanto, fez acender a luz amarela. O primeiro sinal negativo do mercado sobre a empresa veio no mês passado, quando a agência Moody´s colocou a estatal brasileira sob perspectiva de possível rebaixamento da nota sobre o endividamento. A apresentação dos resultados do quarto trimestre será no próximo dia 4. É esperado que o reajuste da gasolina e do diesel saia antes dessa data.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247