Entregando o pré-sal, ANP diz que Brasil será um dos maiores produtores mundiais de petróleo

Brasil pode ser tornar até 2027 o maior produtor mundial de petróleo fora do cartel da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), com até 5 milhões de barris diários, estimou o diretor geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Décio Oddone; "Com a entrada do pré-sal, o Brasil tem potencial para ser o maior produtor não-Opep em 2027", disse; leilão das áreas de pré-sal, que estão sendo vendidas a preço de banana, conforme especialaistas do setor, acontece nesta sexta-feira (27)

Decio Oddone, director general of ANP (National Petroleum Agency) reacts an interview with Reuters in Rio de Janeiro, Brazil, January 30, 2017. Picture taken January 30, 2017.REUTERS/Ueslei Marcelino
Decio Oddone, director general of ANP (National Petroleum Agency) reacts an interview with Reuters in Rio de Janeiro, Brazil, January 30, 2017. Picture taken January 30, 2017.REUTERS/Ueslei Marcelino (Foto: Paulo Emílio)

Reuters - O Brasil pode ser tornar até 2027 o maior produtor mundial de petróleo fora do cartel da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), estimou nesta quinta-feira o diretor geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Décio Oddone.

A previsão dele é que o Brasil pode chegar até lá com uma produção de mais de 5 milhões de barris por dia.

"Com a entrada do pré-sal, o Brasil tem potencial para ser o maior produtor não-Opep em 2027", disse ele, em palestra durante a conferência OTC Brasil, no Rio de Janeiro.

O diretor geral da ANP espera que com o avanço da exploração e produção no pré-sal, a exploração da área da cessão onerosa e novas rodadas de áreas que estão no calendário, o Brasil poderá ver contratadas mais de 30 novas plataformas de petróleo até 2027.

"Isso vai representar 850 bilhões de reais em investimentos, sendo que cerca de 350 bi serão contratados no Brasil", afirmou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247