Era Temer: servidor ganha mais e empregado do setor privado fica na lama

A diferença entre salários do setor público e do setor privado nunca foi tão grande como agora; isso porque Michel Temer concedeu aumentos a diversas categorias do funcionalismo público, para consolidar o apoio ao golpe parlamentar de 2016, enquanto sua política econômica aprofundou a recessão, jogando milhões de brasileiros no desemprego e empurrando para baixo os salários; foi o maior aumento da série histórica do IBGE; enquanto em 2015 o funcionalismo ganhava em média R$ 3.152 –59,3% mais do que um empregado com carteira assinada–, em 2016 essa distância passou para 63,8%

Michel Temer e desemprego
Michel Temer e desemprego (Foto: Giuliana Miranda)

247 - A diferença entre salários do setor público e do setor privado nunca foi tão grande como agora. Isso porque Michel Temer concedeu aumentos a diversas categorias do funcionalismo público, para consolidar o apoio ao golpe parlamentar de 2016, enquanto sua política econômica aprofundou a recessão, jogando milhões de brasileiros no desemprego e empurrando para baixo os salários. Foi o maior aumento da série história do IBGE, iniciada em 2012. Enquanto em 2015 o funcionalismo ganhava em média R$ 3.152 –59,3% mais do que um empregado com carteira assinada–, em 2016 essa distância passou para 63,8%.

As informações são de reportagem de Fernanda Perrin na Folha de S.Paulo. 

"Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), do IBGE.

A principal razão para esse aumento foram os movimentos inversos nos rendimentos de cada categoria. Enquanto o salário médio de um servidor público aumentou 1,5% em 2016 em comparação com 2015, o de um trabalhador celetista do setor privado encolheu 1,3%."

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247