Farra dos jatos atinge também império de Eike

Não é só no mundo político que autoridades, como o governador do Rio, Sergio Cabral, abusam do uso de aeronaves; no mundo privado, Olin, filho caçula de Eike Batista, usa o jato Phenom 300, das empresas OGX e MPX, para rodar o Brasil como DJ ou para se encontrar com a namorada, com custos pagos por todos os acionistas do bilionário, atolado em dívidas; empresas de Eike enganaram investidores prometendo retornos falsos

Farra dos jatos atinge também império de Eike
Farra dos jatos atinge também império de Eike

247 – Em meio a uma enorme crise de credibilidade no mercado e atolado em dívidas, o grupo EBX, do empresário Eike Batista, tem usado o dinheiro dos acionistas para fins pessoais. Como se não bastasse estar sob a mira de seus investidores – que já chegaram até a pedir o bloqueio de seus bens na Justiça – Eike permite que o filho Olin Batista use o jatinho da OGX e da MPX para viajar pelo Brasil como DJ. As informações são do portal Infomoney.

A aeronave de prefixo PP-OGX, modelo Phenom 300, de acordo com o próprio Olin, que concedeu entrevista ao jornal O Globo em maio passado, pertence à OGMP Transporte Aéreo, segundo dados da Airport Data. E a OGMP, por sua vez, é formada pela petrolífera OGX e pela MPX Energia, ambas com fatias de 50%. A empresa tem como atividade serviços de táxi aéreo e locações de aeronaves com tripulação.

A reportagem do Infomoney informa que, apesar de o jatinho, adquirido pelo empresário em 2011 por US$ 10 milhões, pertencer às duas companhias do grupo EBX, ele tem sido usado tanto em viagens a trabalho quanto a lazer pelo caçula de 17 anos, que teria trânsito livre em áreas VIPs dos aeroportos do País. Quem paga, portanto, os custos dessas viagens, não é a família Batista, mas os acionistas de suas empresas, conclui a reportagem.

Para se ter uma ideia do custo de um voo, peguemos o exemplo recente do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que devolveu ao Congresso o valor referente a uma viagem que o levou a um casamento em Trancoso, na Bahia. Pelo trajeto entre as cidades de Maceió, Porto Seguro e Brasília, o parlamentar devolveu aos cofres públicos R$ 32 mil. Na reportagem do Globo, Olin viajava do Santos Dumont, no Rio, a Brasília, onde se encontraria com a modelo Babi Rossi, do programa Pânico, com quem namora há cinco meses.

Enquanto isso...

Atoladas em dívidas, as empresas de Eike Batista enganaram investidores prometendo retornos falsos. O primeiro exemplo é a OGX, que anunciou aos acionistas descobertas de petróleo no Campo de Tubarão, informou recentemente não ter tecnologia para extraí-lo e disse ainda que as atividades no local devem ser paralisadas em 2014. Eike em seguida deixou o controle da MPX e vê as ações das empresas do grupo caírem cada vez mais no mercado.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247