Globo força a barra e mostra expansão fictícia

Embora as vendas do comércio tenham caído 3,5% em novembro, na comparação com o mesmo mês do ano passado, o portal G1, da Globo, distorce os dados e compara novembro com outubro, para tentar mostra um fictício crescimento de 2% após quatro meses de queda; como em novembro e dezembro as vendas sempre crescem, assim como caem em janeiro, em razão da sazonalidade, o padrão correto é usar sempre as mesmas bases de comparação, ou seja, novembro de 2017 contra novembro de 2016; esforço da Globo visa criar uma percepção positiva diante do fracasso econômico do golpe que ela avalizou, representado na figura de Michel Temer

Embora as vendas do comércio tenham caído 3,5% em novembro, na comparação com o mesmo mês do ano passado, o portal G1, da Globo, distorce os dados e compara novembro com outubro, para tentar mostra um fictício crescimento de 2% após quatro meses de queda; como em novembro e dezembro as vendas sempre crescem, assim como caem em janeiro, em razão da sazonalidade, o padrão correto é usar sempre as mesmas bases de comparação, ou seja, novembro de 2017 contra novembro de 2016; esforço da Globo visa criar uma percepção positiva diante do fracasso econômico do golpe que ela avalizou, representado na figura de Michel Temer
Embora as vendas do comércio tenham caído 3,5% em novembro, na comparação com o mesmo mês do ano passado, o portal G1, da Globo, distorce os dados e compara novembro com outubro, para tentar mostra um fictício crescimento de 2% após quatro meses de queda; como em novembro e dezembro as vendas sempre crescem, assim como caem em janeiro, em razão da sazonalidade, o padrão correto é usar sempre as mesmas bases de comparação, ou seja, novembro de 2017 contra novembro de 2016; esforço da Globo visa criar uma percepção positiva diante do fracasso econômico do golpe que ela avalizou, representado na figura de Michel Temer (Foto: Leonardo Attuch)

247 – O comércio recuou 3,5% em novembro (leia aqui), mas, na Globo, houve crescimento de 2% (leia aqui).

A notícia é exatamente a mesma, mas a diferença nos resultados se deve à tentativa da Globo de torturar os dados para buscar uma boa notícia econômica no governo Temer.

O portal G1, da Globo, compara novembro com outubro, e não com novembro do ano passado, que seria a base de comparação adequada.

Como em novembro e dezembro as vendas sempre crescem, em razão de fenômenos como a black friday e o Natal, assim como caem em janeiro, devido às férias, o padrão correto é levar em conta a sazonalidade e usar sempre as mesmas bases de comparação, ou seja, novembro de 2017 contra novembro de 2016.

O esforço da Globo, na prática, visa criar uma percepção positiva diante do fracasso econômico do golpe que ela avalizou, representado na figura de Michel Temer, que, segundo o escritor Fernando Morais, é um preposto da família Marinho no poder.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247