Golpe arrasa o setor de cimento no Brasil

Vendas de cimento atingiram 57,2 milhões de toneladas no Brasil em 2016, queda de 11,7% em relação a 2015, de acordo com o Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC); trata-se do pior número desde 2009

www.brasil247.com - Vendas de cimento atingiram 57,2 milhões de toneladas no Brasil em 2016, queda de 11,7% em relação a 2015, de acordo com o Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC); trata-se do pior número desde 2009
Vendas de cimento atingiram 57,2 milhões de toneladas no Brasil em 2016, queda de 11,7% em relação a 2015, de acordo com o Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC); trata-se do pior número desde 2009 (Foto: Gisele Federicce)


247 - O golpe articulado por Aécio Neves, Michel Temer e Eduardo Cunha não para de arrasar os índices da economia. Desta vez, foi o setor de cimento que registrou queda nas vendas.

Em 2016, as vendas atingiram 57,2 milhões de toneladas no Brasil, uma queda de 11,7% em relação a 2015, de acordo com números divulgados pelo Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC).

Trata-se do pior número desde 2009. A ociosidade do setor está em 43% da capacidade instalada. A previsão é ainda pior: este ano, o setor acredita que esse percentual chegue aos 50%.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email