Golpe congelou mercado de trabalho no Brasil

A quantidade de brasileiros que buscam trabalho há mais de dois anos voltou a subir em 2017, chegando a 2,9 milhões, ou 20,4% dos 14,2 milhões de desempregados do país; em termos absolutos, o número é o mais alto da série história da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), com início em 2012

Michel Temer e desemprego
Michel Temer e desemprego (Foto: Giuliana Miranda)

247 - O número de brasileiros que procuram trabalho há mais de dois anos voltou a subir em 2017, chegando a 2,9 milhões, ou 20,4% dos 14,2 milhões de desempregados do país.

Em termos absolutos, o número é o mais alto da série história da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), com início em 2012.

As informações são de reportagem da Folha de S.Paulo.

"Há um ano, esse porcentual era de 18,2% e, no último trimestre de 2016, de 19,9%.

O número de pessoas procurando uma vaga há mais de um ano mas há menos de dois anos também atingiu o valor mais alto da série, com um contingente de 2,5 milhões de pessoas.

A maior parte dos desempregados está em busca de trabalho há pelo menos um mês e menos de um ano. No primeiro trimestre de 2017, eram 6,9 milhões de pessoas nessa situação.

Desempregados, subocupados (pessoas que trabalham menos de 40 horas por semana mas gostariam de trabalhar mais) e quem faz parte da força de trabalho potencial mas não está empregado somaram 26,5 milhões de pessoas no primeiro trimestre."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247