Golpe jogou 5,4 milhões de brasileiros na pobreza extrema

O golpe que destituiu a presidente Dilma Rousseff e o clima de "quanto pior, melhor" instaurado na economia para possibilitar sua derrubada, feriu não apenas a democracia, mas também os brasileiros; levantamento inédito mostra que, depois de uma década em queda, a pobreza voltou a crescer no Brasil graças à longa e profunda recessão ocorrida entre 2014 e 2016; de acordo com levantamento do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (Iets), mais de nove milhões de brasileiros caíram, em 2015, abaixo da linha de pobreza (US$ 5,50 per capita por dia ou R$ 387,07 mensais), em decorrência da deterioração do emprego e da renda

www.brasil247.com - Golpe jogou 5,4 milhões de brasileiros na pobreza extrema
Golpe jogou 5,4 milhões de brasileiros na pobreza extrema


247 - Depois de uma década em queda, a pobreza voltou a crescer no Brasil graças à longa e profunda recessão ocorrida entre 2014 e 2016. De acordo com levantamento do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (Iets), mais de nove milhões de brasileiros caíram, em 2015, abaixo da linha de pobreza (US$ 5,50 per capita por dia ou R$ 387,07 mensais), em decorrência da deterioração do emprego e da renda.

Do total, 5,4 milhões estão no critério do Banco Mundial para extrema pobreza, isto é, vivem hoje com menos de US$ 1,90 por dia ou R$ 133,72 por mês. As informações se baseiam em dados da "Síntese de Indicadores Sociais", documento elaborado pelo IBGE a partir da série histórica disponível da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad).

Na sexta-feira, o IBGE revelou que 52,2 milhões de pessoas viviam abaixo da linha de pobreza em 2016, o equivalente a 25,4% da população. No caso da pobreza extrema, eram 13,35 milhões de pessoas, 6,5% da população. O Iets cruzou linhas de cortes e criou uma série histórica para comparar com outros períodos.

As informações são de reportagem de Bruno Villas Bôas e Ligia Guimarães no Valor.

Inscreva-se na TV 247 e acompanhe o "Bom Dia 247" que abordou o tema:

 

 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247