Governo quer abrandar multa a empresas que pratiquem discriminação racial e de orientação sexual

A mudança consta de uma minuta da Secretaria Nacional do Consumidor, do Ministério da Justiça, comandado por Sérgio Moro. A multa a empresas por infrações ao direito do consumidor aumenta se houver discriminação por cor, opção sexual e etnia

Ministério da Justiça quer retirar discriminação como agravante para multar empresas
Ministério da Justiça quer retirar discriminação como agravante para multar empresas (Foto: José Cruz - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governo Jair Bolsonaro quer retirar a discriminação por cor, opção sexual e etnia como agravante para multas a empresas que violarem o direito do consumidor. A mudança consta de uma minuta da Secretaria Nacional do Consumidor, do Ministério da Justiça, de acordo com informações publicadas pela coluna de Guilherme Amado. O texto foi submetido a consulta pública.

Desde 2016, a multa a empresas por infrações ao direito do consumidor aumenta se houver atitude "discriminatória de qualquer natureza, referente à cor, etnia,idade, sexo, opção sexual, religião, entre outras, caracterizada por ser constrangedora, intimidatória, vexatória".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247