Guedes quer tributar aplicações em títulos imobiliários e do agronegócio

O ministro da Economia, Paulo Guedes, quer tributar investimentos feitos em títulos que financiam o agronegócio e empreendimentos imobiliários. A proposta prevê o fim da isenção de IR para aplicações em Letra de Crédito Imobiliário), Letra de Crédito do Agronegócio, Certificado de Recebíveis Imobiliários e Certificado de Recebíveis Agrícolas

Cavalo de Tróia contra a Previdência
Cavalo de Tróia contra a Previdência (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

247 - O ministro da Economia, Paulo Guedes, quer tributar investimentos feitos em títulos que financiam o agronegócio e empreendimentos imobiliários. A proposta prevê o fim da isenção de IR (Imposto de Renda) para aplicações em LCI (Letra de Crédito Imobiliário), LCA (Letra de Crédito do Agronegócio), CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários) e CRA (Certificado de Recebíveis Agrícolas).

A decisão pode ser um revés para os planos da Caixa Econômica de expandir sua carteira de financiamento imobiliário por meio da securitização dos créditos. O banco apostava na isenção de IR em CRIs, LIGs e LCIs para tornar o produto mais atrativo - os títulos do Tesouro são tributados.

"Sim, sem dúvida dificulta um pouco mais você atrair investidor para esse papel", avalia Marcelo Prata, fundador da Resale, plataforma de venda de imóveis retomados por bancos. Seu relato foi publicado no jornal Folha de S.Paulo

De acordo com Prata, embora o título tenha o lastro da garantia imobiliária, o que pode trazer segurança a investidores, a isenção era um atrativo para esses papéis. "O investidor vai ter que fazer conta para ver se continua compensando esse tipo de papel frente a outros investimentos".




Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247.Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247