Inflação de volta: preço da linguiça sobe 70%

Não é apenas o preço do arroz que disparou. A linguiça deu um salto de 69,7% na composição da cesta básica do brasileiro. Um quilo do produto chega a custar R$ 24

Preço da linguiça dispara
Preço da linguiça dispara (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O produto da cesta básica que mais encareceu ao consumidor final foi a linguiça, com variação média de 70 % desde que o início da pandemia, segundo levantamento da Horus.

A reportagem do portal Uol destaca que “há Estados em que o aumento é muito maior. O quilo da linguiça mais que dobrou de preço em São Paulo e no Paraná, passando a custar R$ 22,90 (+110%) e R$ 22,51 (+111%), respectivamente.”

A matéria ainda sublinha que “A ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) diz que a alta é reflexo das altas nos custos produtivos, “com elevações de mais de 30% no preço do milho e da soja, que são insumos básicos da produção e principais fatores de constituição de custos”.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247