JBS denuncia perseguição estatal à empresa

O escritório de advocacia Bottini & Tamasauskas, que atua na defesa da JBS e participou das negociações do acordo de leniência de todo o grupo J&F, controlador da companhia, considera que seu cliente está sendo vítima de “retaliação” do governo; “Consideramos que, sim, a empresa vem sendo perseguida porque decidiu colaborar com as autoridades para o esclarecimento de crimes”, diz a nota enviado pelo escritório ao jornal Estado de S. Paulo

Entrada de unidade da JBS em Jundiaí (SP). 01/06/2017. REUTERS/Paulo Whitaker
Entrada de unidade da JBS em Jundiaí (SP). 01/06/2017. REUTERS/Paulo Whitaker (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A empresa JBS, de Joesley Batista, que acusou Michel Temer de comandar a maior e mais perigosa organização criminosa do País, confirmou estar sendo vítima de perseguição estatal.

O escritório de advocacia Bottini & Tamasauskas, que atua na defesa da JBS e participou das negociações do acordo de leniência de todo o grupo J&F, controlador da companhia, considera que seu cliente está sendo vítima de “retaliação” do governo. “Consideramos que, sim, a empresa vem sendo perseguida porque decidiu colaborar com as autoridades para o esclarecimento de crimes”, diz a nota enviado pelo escritório ao jornal Estado de S. Paulo.

Leia mais na reportagem de Alexa Salomão.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247